CONCEPÇÕES E CONHECIMENTOS SOBRE ANTIOXIDANTES

ANTIOXIDANTES: CONHECIMENTOS DE ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO EM SAÚDE E CONCEPÇÕES PRESENTES NA MÍDIA

Farmácia-Bioquímica Farmacologia Curso superior Química dos Alimentos
CONCEPÇÕES E CONHECIMENTOS SOBRE ANTIOXIDANTES
Milena B.
em 09 de Maio de 2019

ANTIOXIDANTES: CONHECIMENTOS DE ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO EM SAÚDE E CONCEPÇÕES PRESENTES NA MÍDIA

 

Uma definição utilizada de forma ampla aponta que antioxidantes são qualquer substâncias que, presente em baixas concentrações quando comparada a do substrato oxidável, atrasa ou inibe a oxidação deste de maneira eficaz ( Sies & Sthal, 1995).  Seres aeróbios constantemente produzem espécies reativas, tendo suas ações moduladas com a síntese de antioxidantes no organismo, dentre elas enzimas e moléculas de alto e baixo peso molecular. No entanto, os antioxidantes dietéticos são ineficazes na modulação do equilíbrio “redox” em humanos. Desta forma, aponta-se que apesar do dano oxidativo contribuir para o desenvolvimento de patologias de várias doenças humanas, os suplementos dietéticos antioxidantes possuem eficácia limitada (Halliwell, 2011).

 Um estudo analisou dez concepções equivocadas sobre antioxidantes, em que uma destas evidencia que a atividade efetiva de scavening (varredura) dos antioxidantes in vitro levou a uma extrapolação de seu potencial protetor in vivo (Bast & Guido, 2011).  Desta forma, devido a distância entre os modelos experimentais, é possível admitir que o uso de antioxidantes dietéticos potencialmente desconsidera a complexidade biológica do sistema e foca apenas nas propriedades antioxidantes dos sistemas analíticos em química.

Algumas metodologias que são difundidas na literatura para determinação da atividade antioxidante podem ser consideradas boas para outras determinações, porém ineficientes para análises antioxidantes. Modelos utilizando lipossomas poderiam ser utilizados, porém as barreiras entre membranas determinam diferenças entre a atividade antioxidante determinada e o que realmente é capaz de chegar à célula, apresentando-se como modelos biológicos ineficazes. Desta forma, neste capítulo do estudo será descrita a investigação de conhecimentos de estudantes de cursos de graduação na área da saúde a respeito de antioxidantes dietéticos, sabendo-se que há informações errôneas sobre o assunto veiculadas de forma massiva. A participação dos estudantes foi voluntária, sem divulgação de dados pessoais e em conformidade com as regras da resolução ética 510/2016 que permitiu que o trabalho fosse realizado.

 

PROCEDIMENTOS

  Elaboração do questionário de conhecimentos sobre antioxidantes

 

O questionário de conhecimentos sobre antioxidantes foi distribuído aleatoriamente entre os estudantes de cursos de graduação em saúde, dentre eles Farmácia (3º período), Medicina (2º e 3º ano) e Nutrição (4º período) de uma escola médica padrão, a Faculdade de Medicina do ABC (FMABC), durante o segundo semestre do ano de 2016, obtendo-se um n=39. O questionário foi subdividido em diferentes categorias de conhecimento: química, farmacológica e midiática (tabela 2). Pretendeu-se apontar concepções midiáticas nas afirmações, assim como questões que envolvessem a necessidade de conhecimentos de química e bioquimica ou farmacologia, as quais os estudantes poderiam apresentar debilidades conceituais. Para análise das afirmações deste foram consideradas respostas de indecisão as opções: possivelmente verdadeiro (PV), possivelmente falso (PF) e não sei (NS).

 

Busca de notícias na mídia digital  

 

Selecionou-se os sites: Folha de São Paulo, O Estado (Estadão), O Globo utilizando a palavra-chave “antioxidante”. Os critérios utilizados foram o número de "page views" ou visualizações, sabendo-se que a circulação digital da Folha em fevereiro de 2016 foi de 139,1 mil exemplares diários, seguida por "O Globo", com 116 mil, "O Estado", com 68,1 mil. Em maio de 2016, o site da Folha recebeu um recorde de 25,9 milhões de visitantes, segundo o Adobe Analytics (antiga Omniture). Encontrou-se 460 artigos de notícias utilizando a palavra-chave “antioxidante” no site de notícias do jornal A Folha. No Jornal O Estado encontrou-se 436 artigos de notícias e no site do O globo 172 artigos de notícias até o mês de outubro de 2016, estes dados foram convertidos em porcentagens para obtenção da proporção de cada categoria encontrada nos sites dos jornais.

 Tabela 2. Afirmações subdividas em categorias do questionário de conhecimentos sobre  antioxidantes

 

Química

1.A oxidação ocorre quando uma espécie química perde elétrons.

 

23.A redução é o ganho de elétrons de uma espécie química.

 

3.Substâncias sofrem a redução quando reagem com outra espécie química que perde elétrons

 

20.Radicais livres são espécies químicas extremamente instáveis e altamente reativas

 

24.Devido a serem extremamente instáveis e altamente reativos, os radicais livres não podem ser dosados.

 

6.Ao ocorrer uma reação de oxidação, necessariamente ocorre uma redução.

 

17.As condições de reação (pH, temperatura, concentração) determinam a atividade antioxidante de uma molécula.

 

11.Só existe uma reação redox quando existem duas moléculas que reagem para tal reação química

 

 9.A determinação experimental das propriedades antioxidantes de uma molécula se dá em ambiente e condições extremamente controladas.

 

10.Moléculas antioxidantes podem ser hidrossolúveis ou lipossolúveis.

 

Farmacológica

   4.Antioxidantes previnem a oxidação de biomoléculas nas células no organismo humano.

 

  12.Moléculas antioxidantes não possuem barreiras entre membranas para atuação nas células animais.

 

  13.Radicais livres são neutralizados por moléculas antioxidantes.

 

  14.As condições químicas do trato gastrointestinal não conseguem alterar quimicamente

   os antioxidantes do alimento.

 

 15.Em altas doses os antioxidantes agem como oxidantes no organismo humano.

 

  8.Todo antioxidante ingerido tem um alvo definido no organismo.

 

Midiática

 

   19.Suplementos que contêm antioxidantes diminuem a formação de radicais livres.

 

   2.Radicais Livres só são produzidos por organismos com doenças.

 

   7.O consumo de frutas e hortaliças que possuem antioxidantes reduz a ocorrência de doenças cardiovasculares.

 

   22.Quanto mais antioxidantes na dieta, melhor a dieta.

 

   5.Antioxidantes aumentam o tempo de vida de humanos.

 

   16.Radicais livres sempre são maléficos à saúde.

 

   25.Antioxidantes sempre são benéficos à saúde.

 

   26.Somente antioxidantes combatem efeitos maléficos de radicais livres.

 

   27.Antioxidantes retardam envelhecimento em humanos.

   21.Medicamentos ou drogas podem agir como antioxidantes.

 

  18.Barreiras entre membranas não são obstáculos para ação antioxidante na célula.

 

 Resultados e Discussão

 

Conhecimentos sobre antioxidantes dos estudantes de cursos de graduação em saúde

 

 Através de uma análise de componentes principais (PCA)  dos dados obtidos no questionário de conhecimentos sobre antioxidantes (tabela 3) foi possível visualizar as respostas que os estudantes mais erraram, acertaram e manifestaram estar indecisos. Os estudantes erraram as seguintes afirmações: “antioxidantes retardam o envelhecimento em humanos”; “quanto mais antioxidantes na dieta, melhor seria dieta”, “suplementos que contêm antioxidantes diminuem a formação de radicais livres”, “antioxidantes aumentam o tempo de vida em humanos, “antioxidantes previnem a oxidação de biomoléculas nas células no organismo humano. ”

A ocorrência de erros na categoria de afirmações “midiáticas” demonstra que os estudantes acatam as concepções comumente encontradas em sites, blogs de celebridades, revistas de beleza feminina que correspondem a utilização de antioxidantes para fins terapêuticos. Percebe-se que há incompreensões a respeito das barreiras entre membranas da célula e as condições químicas do trato gastrointestinal não serem capazes de alterar quimicamente os antioxidantes dietéticos. Há também indecisões sobre conhecimentos de química , como a necessidade de duas moléculas para ocorrência da reação redox.

Entre as afirmações farmacológicas com mais indecisões estavam: “moléculas antioxidantes não possuem barreiras entre membranas para atuação nas células animais, “as condições químicas do trato gastrointestinal não conseguem alterar quimicamente os antioxidantes dos alimentos”, “em altas doses os antioxidantes agem como oxidantes no organismo humano”, “radicais livres sempre são maléficos à saúde”.

 

  Tabela 3. Afirmações do questionário sobre antioxidantes na sequência ministrada aos alunos

 

1.A oxidação ocorre quando uma espécie química perde elétrons.

2.RadicaisLivres só são produzidos por organismos com doenças.

3.Substâncias sofrem redução quando reagem com outra espécie química que perde elétrons.

4.Antioxidantes previnem a oxidação de biomoléculas nas células no organismo humano.

5.Antioxidantes aumentam o tempo de vida de humanos.

6.Ao ocorrer uma reação de oxidação, necessariamente ocorre uma redução.

7.O consumo de frutas e hortaliças que possuem antioxidantes reduz a ocorrência de doenças cardiovasculares.

8.Todo antioxidante ingerido tem um alvo definido no organismo.

  1. A determinação experimental das propriedades antioxidantes de uma molécula se dá em ambiente e condições extremamente controladas.

10. Moléculas antioxidantes podem ser hidrossolúveis ou lipossolúveis.

11.Só existe uma reação redox quando existem duas moléculas que reagem para tal reação química.

12.Moléculas antioxidantes não possuem barreiras entre membranas para atuação nas células animais.

13.Radicais livres são neutralizados por moléculas antioxidantes.

14.As condições químicas do trato gastrointestinal não conseguem alterar quimicamente os antioxidantes dos alimentos.

15.Em altas doses os antioxidantes agem como oxidantes no organismo humano.

16.Radicais livres sempre são maléficos à saúde.

17.As condições de reação (pH, temperatura, concentração) determinam a atividade antioxidante de uma molécula.

18.Barreiras entre membranas não são obstáculos para ação antioxidante na célula.

19.Suplementos que contêm antioxidantes diminuem a formação de radicais livres.

20.Radicais livres são espécies químicas extremamente instáveis e altamente reativas.

21.Medicamentos ou drogas podem agir como antioxidantes.

22.Quanto mais antioxidantes na dieta, melhor a dieta.

23.A redução é o ganho de elétrons de uma espécie química.

24.Devido a serem extremamente instáveis e altamente reativos, os radicais livres não podem ser dosados.

25.Antioxidantes sempre são benéficos à saúde.

26.Somente antioxidantes combatem efeitos maléficos de radicais livres.

27.Antioxidantes retardam envelhecimento em humanos.

 

Concepções sobre antioxidantes veiculadas pela mídia

 

De acordo com a tabela 4, percebe-se que cerca de 99% das notícias veiculadas com uso do termo “antioxidante” nos principais sites de jornais da mídia digital de grande circulação nacional estabelecem uma correlação direta entre o teor antioxidante dietético e a utilização destes compostos para fins terapêuticos. A segunda categoria mais difundida nos sites dos jornais pesquisados é a de ação antienvelhecimento e até rejuvenescedora, concepção largamente difundida em blogs, sites e revistas de beleza feminina.

A abordagem do antioxidante enquanto um mito, questionando seu efeito no organismo apresentou pequena proporção e a associação à infertilidade feminina, fertilidade masculina, corante, conservante, inibidor da absorção de ferro, afrodisíaco, emagrecedor, substância permitida por lei, substância capaz de provocar doença ou marketing empresarial foram encontradas em proporções ínfimas. Devido aos baixos índices nacionais de letramento cientifico, tais categorias podem ser as mais facilmente assimiladas ao universo cognitivo dos estudantes da saúde, vislumbrando-se a necessidade de estratégias ou intervenções de ensino.

 

 

 

 

 

 

 

                      Categorias

 

Sites dos principais jornais de circulação nacional (%)

A Folha

O Estado de São Paulo

O Globo

 

    Uso para fins terapêuticos diversos

 

74,48

 

80,00

 

58,04

 

Venda de produtos de beleza e bem-estar

5,19

3,78

13,80

 

Antienvelhecimento e rejuvenescedora

9,02

10,57

20,11

 

Corante alimentar

0,77

-

-

 

Mitos

6,49

1,88

2,90

 

Receitas

-

-

2,29

 

Inibidores da absorção de ferro

0,51

-

-

 

Conservante em alimentos

0,25

0,38

0,57

 

Associado à infertilidade feminina

0,25

-

-

 

Associados à fertilidade masculina

0,25

-

-

 

Afrodisíaco

0,25

-

-

 

Emagrecedor

1,71

1,14

1,72

 

Substância permitida por lei

-

-

0,57

   

      Capacidade de provocar doenças

-

0,75

-

 

Marketing empresarial

-

1,50

-

 Categorias e proporções de notícias com o termo “antioxidante” veiculado pela mídia digital

    

 

  CONCLUSÕES E CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

Os erros encontrados entre os estudantes a respeitos dos antioxidantes e as concepções mais veiculadas pela mídia digital de grande circulação nacional evidenciam a necessidade de estratégias de ensino direcionadas aos conteúdos farmacológicos ou bioquímicos, assim como aos conhecimentos não-científicos.

Aulas da disciplina de genética básica em cursos de graduação, mas também de outras disciplinas de Ciências Biológicas, como bioquímica podem ser planejadas realizando-se o mapeamento dos estudantes baseado no diagnóstico mensurado considerado realidades de distintos níveis socioeconômicos e investimentos em educação. Estudos sobre a expertise dos alunos sobre conteúdos de natureza biológica e bioquímica em diferentes níveis de escolaridade de cursos da área de ensino em saúde, que realize validação semântica de questionário e criteriosas revisões sistemáticas poderiam ser elaborados neste sentido.

 


 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

BISSONNETTE S. A. et al. Using the Biology Card Sorting Task to Measure Changes in Conceptual Expertise during Postsecondary Biology Education.CBE—Life Sciences Education, 16:ar14, 1–15, 2017.

 

CHAMPAGNE Queloz A, Klymkowsky MW, Stern E, Hafen E, Köhler K. Diagnostic of students' misconceptions using the Biological Concepts Instrument (BCI): A method for conducting an educational needs assessment. Plos One 12(5): e0176906. 2014.

 

COLEY JD, Tanner K. Relations between intuitive biological thinking and biological misconceptions in biology majors and nonmajors. CBE-Life Sciences Education.; 14(1):ar8–ar8. pmid:25713093, 2015.

 

DÁVALOS, A., Gómez-Cordovés, C., Bartolomé, B. J. Agric. Food Chem.v. 52, 260, 2004. 

 

DIKMENLI, M. Misconceptions of cell division held by student teachers in biology: A drawing analysis. Scientific Research and Essay, 5 (2), 235–247, 2010.

 

DRIVER, R. Student’s conceptions and the learning of Science.International. Journal of Science Education, 11, special issue, p.481 – 490, 1989.

 

GARCIA R.U., Bove R., Carvalho M.B, Domingos M.D. Indicador de Letramento Científico. Relatório Técnico, Instituto Abramundo, 2014.

GOBERT J.D.; O’Dwyer L., Horwitz P.; C. Buckley B., Levye S.T.; Wilenskyf U. Examining the Relationship Between Students’ Understanding of the Nature of Models and Conceptual Learning in Biology, Physics, and Chemistry. International Journal of Science Education, Vol. 33, No. 5, 15 March 2011, pp. 653–684. 2011.

 

INEP, BRASIL no Pisa 2015: Análises e Reflexões sobre o desempenho dos estudantes brasileiros na Avaliação, 2016.

 

STEAWART, J., & Dale, M. High school students understanding of chromosome/ gene behavior during meiosis. Science Education, 73 (4), 501–521, 1989.

 

STEAWART, J., Hafner, R., & Dale, M.  Student’s alternate views of meiosis. The American Biology Teacher, 52 (4), 228–232, 1990.

 

WALDROP M. Why we are teaching science wrong, and how to make it right. Nature,15; 523:272–4, 2015.

 

ZIEGLER B, Montplaisir L. Student perceived and determined knowledge of biology concepts in an upper-level biology course. CBE-Life Sciences Education.; 13(2):322–30. pmid:26

 

Rio de Janeiro / RJ
Graduação: Farmácia e Bioquímica (UFSM - Universidade Federal de Santa Maria)
Farmácia-Bioquímica - Auxílio em TCC Farmácia-Bioquímica no Ensino superior Auxilio em trabalhos acadêmicos de Farmácia-Bioquímica Farmácia-Bioquímica - dissertação Farmácia-Bioquímica - Auxílio em artigos Farmácia Clínica Farmácia-Bioquímica - monografia
Ministro aulas de Ciências, Química, Biologia, Farmácia-Bioquímica e Nutrição por preços acessíveis
Oferece aulas online (sala profes)
Oferece aulas presenciais
R$ 45 / aula
Conversar Whatsapp do professor Milena B. Whatsapp do professor Milena B. WhatsApp
1ª aula demonstrativa
Responde em 2 dias e 18 h
Cadastre-se ou faça o login para comentar nessa publicação.

Listas de exercícios, Documentos, Revisões de textos, Trabalhos?

Se seu problema for dificuldade em uma lista de exercícios, revisão de teses e dissertações, correção de textos ou outros trabalhos, peça uma ajuda pelo Tarefas Profes.

Enviar Tarefa

Confira artigos similares

Confira mais artigos sobre educação

Ver todos os artigos

Encontre um professor particular

Busque, encontre e converse gratuitamente com professores particulares de todo o Brasil