A expansão marítima portuguesa
Mariella Careaga
em 15 de Janeiro de 2015

Olá pessoal!

Tudo bom?

Seguindo com a nossa revisão sobre a Expansão Marítima, agora veremos um pouco mais sobre as viagens ultramarinas portuguesas. Esse tópico, dentro da expansão marítima, é frequente nos vestibulares, uma vez que os portugueses foram nossos colonizadores e detiveram o controle político e econômico do que conhecemos como Brasil por vários séculos. Além disso, nossos colegas do extremo da península ibérica também foram os primeiros, os pioneiros, nessas viagens ultramarinas, sendo esse pioneirismo motivado por fatores, como: a formação e consolidação precoce (quando comparados a outros Estados Nacionais) da monarquia portuguesa (centralização política), relação próxima da burguesia dessa região com o Estado e localização geográfica favorável com acesso a diversas rotas comerciais.

E por onde os portugueses navegaram? É isso que veremos a seguir.

Embarcações utilizadas nas grandes navegações

AS GRANDES NAVEGAÇÕES PORTUGUESAS

Quando estudamos como foram as grandes viagens ultramarinas portuguesas, podemos notar que existiram algumas orientações centrais para essas empreitadas. De forma resumida, podemos indicar os seguintes fatores como norteadores da expansão portuguesa pelos mares:

- Exploração mercantil: A motivação de busca de novos mercados consumidores e produtores foi importante para os portugueses. As iniciativas realizadas por eles focaram principalmente a busca de novas regiões nos continentes africano (inicialmente) e asiático;

- Descobrimento, conquista e colonização de regiões: Neste ponto, é relevante mencionar a colonização da América (o que será o Brasil posteriormente) pelos portugueses. A conquista e colonização dessa área permitiu ao Estado português o desenvolvimento de uma importante região produtora e consumidora de produtos portugueses por muitos anos;

- Construção de uma região de influência do Estado português: Essa motivação, que fomentaria a construção do chamado Império Português motivou os portugueses a buscaram cada vez mais novas regiões e produtos que fortalecessem Portugal, tornando-o uma potencial econômica principalmente durante o século XVI.

 

 O CICLO DE NAVEGAÇÃO PORTUGUÊS

Os portugueses desenvolveram o chamado Ciclo de Navegação Oriental, no qual buscavam atingir regiões orientais (chamadas neste momento genericamente de Índias) navegando no sentido sul-oriental. Para isso, eles deveriam contornar toda a costa ocidental africana, etapa esta que ficou conhecida como PÉRIPLO AFRICANO. O início do Périplo ocorreu com a conquista de Ceuta em 1415. Posteriormente, os portugueses conquistaram regiões como Guiné (1434-1462), Congo (1482-1485) e o Cabo da Boa Esperança (1488). Após a conquista do Cabo da Boa Esperança, região localizada no extremo sul da África que era apelidada carinhosamente de Cabo das Tormentas, os portugueses fincaram seus pés em território americano (chegada a região de Porto Seguro em 1500) e posteriormente, tanto com Pedro Álvares Cabral quanto com Vasco da Gama, chegaram as Índias, especificamente a Calcutá. A conquista de todas essas regiões, que forneciam diversos produtos ao Estado português, como ouro, marfim e especiarias, possibilitou a consolidação de Portugal como uma potência econômica da época e funtamentou a formação do Império Português, que abrangia tanto territórios no Oriente quanto no Ocidente.

Além das conquistas citadas acima, que foram muito importante para o Estado português, nossos amigos da península Ibérica também conquistaram regiões situadas na costa oriental da África (Moçambique), na Ásia (Goa e Macau) e na Oceania (Timor Leste).

 

APOGEU E DECLÍNIO DO IMPÉRIO PORTUGUÊS

O império português constituído a partir das diversas conquistas mencionadas acima teve seu apogeu principalmente durante o século XVI, contudo não foi capaz de se manter nessa situação nos séculos seguintes. Esse declínio pode ser explicado por uma série de fatores, como:

- Aumento dos gastos, seja militares ou na administração dessas diferentes áreas;

- Desvalorização das especiarias no mercado europeu, o que reduzia os ganhos do Estado com a sua comercialização;

- Surgimento de concorrência no comércio de produtos para Europa, principalmente de ingleses e holandeses.

 

Espero que este resumo auxilie vocês nos seus estudos históricos!

Abraços e até um próximo post

 

Mariella

 

São Paulo / SP
Doutorado: Psicobiologia (Universidade Federal de São Paulo)
Olá pessoal Sou biomédica formada pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP-EPM) e mestre em ciências pela mesma instituição (na área de neurociências). Embora inserida na área da saúde pela minha formação superior, tenho experiência lecionando aulas de História do Mundo e Brasil, pois lecionei por 5 anos essa disciplina em um cursinho comunitário da UNIFESP (CUJA), além de conduzir grupos de estudo e elaborar material didático sobre essa matéria. Tenho também conhecimentos de inglês, esp ...
História do Brasil, História do Mundo, História para Vestibular, História para Ensino Médio, Farmacologia, Conversação Básica em Espanhol, Leitura em Espanhol
Oferece aulas online (sala profes)
R$ 55 / aula
Conversar
Cadastre-se ou faça o login para comentar nessa publicação.

Confira artigos similares

Confira mais artigos sobre educação

Ver todos os artigos

Encontre um professor particular

Busque, encontre e converse gratuitamente com professores particulares de todo o Brasil