Como estudar História
Tawnne de Andrade Nardi
em 29 de Março de 2015

A História enquanto área do conhecimento e da produção científica humana possui também metodologias próprias (a palavra metodologia significa o estudo dos métodos, ou qual o método que se utiliza para estudar determinadas coisas). A História também não é neutra ou imparcial, depende de quem a conta, para quem se conta, como se conta. Estudamos a História, conhecemos o passado da humanidade através do que chamamos de fontes, ou seja, pontos de partida que nos permitem termos contato com pessoas ou povos que já não existem. Há muitos tipos de fontes: as favoritas costumam ser as fontes escritas (textos, por exemplo), mas podemos considerar como fontes os vestígios materiais (esqueletos e objetos, muito utilizados pela arqueologia), e também as produções artísticas do passado. 

 

 No século XIX, na Europa, as escolas começaram a surgir da forma como as conhecemos hoje, e as disciplinas escolares começaram a ser mais padronizadas de acordo com o que se considerava na época que era importante aprender. Nesse período, as ciências em geral passavam por uma fase de especialização, ou seja, antes um intelectual costumava conhecer um pouco de tudo (de filosofia a química), e a partir dali começou a haver uma maior separação entre as áreas de conhecimento: as Humanas, as Biológicas e as Exatas.

 

Mas os métodos de estudo usados nas áreas de Humanas foram no início os mesmos métodos usados nas ciências Biológicas e Exatas, que chamamos de positivismo. Os historiadores positivistas entendiam a História como uma sequência de fatos políticos realizados por figuras notáveis, e as aulas de História costumavam ser apenas um 'decoreba' de datas e nomes de governantes e generais que haviam 'realizado' algo.

 

Só que foi também no século XIX que surgiu uma outra forma de estudar a História, elaborado por Karl Marx e Friedrich Engels (dois intelectuais alemães), o materialismo dialético. Marx e Engels entendiam que para conhecer a História da humanidade era necessário relacionar a economia, a sociedade e a política de cada período e lugar. Estudando a economia é possível entender como um povo sobrevive, transforma a natureza e gera suas riquezas; ao estudar a sociedade, entendemos quais são as relações que se estabelecem entre as pessoas, de dependência, de troca, de dominação, e quais grupos compõe cada povo; estudando a política conseguimos ver como os conflitos sociais gerados a partir das diferenças econômicas aparecem e quais as propostas para resolvê-los.

 

Os costumes, arte, cultura, religião, de cada povo também se desenvolvem dentro desse ciclo de relações e por isso não podem ser estudados de forma isolada, como se brotassem do nada. O passado de um povo diz muito sobre como ele é hoje.

(Texto originalmente publicado em tawnne.wix.com/historia)

 

São Paulo / SP
Graduação: História - bacharelado e licenciatura (USP - Universidade De São Paulo)
Professora de História para: aulas particulares e de reforço para Ensino Médio, preparação para vestibular e Enem. Experiência profissional: professora de História de Ensino Médio e de todas as séries do Ensino Fundamental II; professora de Projetos de Apoio à Aprendizagem, e monitora de História em museu. Formação acadêmica: História USP - Bacharelado e licenciatura (concluo este ano) As aulas presenciais serão realizadas preferencialmente em local público (biblioteca, Centro Cultural), tenh ...
História para Ensino Fundamental, História para Ensino Médio, História para Vestibular, História para o ENEM, Reforço Escolar em História, História - Infantil
Oferece aulas presenciais
R$ 40 / aula
Conversar
Cadastre-se ou faça o login para comentar nessa publicação.

Confira mais artigos sobre educação

Ver todos os artigos

Encontre um professor particular

Busque, encontre e converse gratuitamente com professores particulares de todo o Brasil