Sistema digestório

Biologia Anatomia humana
Sistema digestório
Jacquelyne N.
em 21 de Janeiro de 2020

Grupo Educacional Uniesp



Jacquelyne Neves Oliveira: RA:

Curso: Dança Turma: 1 MA
















Sistema Digestório

























São Caetano do Sul, 28 de maio de 2013.

Introdução

 


O trato digestório e os órgãos anexos constituem o sistema digestório. O trato digestório é um tubo oco que se estende da cavidade bucal ao ânus, sendo também chamado de canal alimentar ou trato gastrintestinal. As estruturas do trato digestório incluem: boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso, reto e ânus.

O comprimento do trato gastrintestinal, medido no cadáver, é de cerca de 9m. Na pessoa viva é menor porque os músculos ao longo das paredes dos órgãos do trato gastrintestinal mantém o tônus.

Os órgãos digestório acessórios são os dentes, a língua, as glândulas salivares, o fígado, vesícula biliar e o pâncreas. Os dentes auxiliam no rompimento físico do alimento e a língua auxilia na mastigação e na deglutição. Os outros órgãos digestórios acessórios, nunca entram em contato direto com o alimento. Produzem ou armazenam secreções que passam para o trato gastrintestinal e auxiliam na decomposição química do alimento.

O trato gastro intestinal é um tubo longo e sinuoso de 10 a 12 metros de comprimento desde a extremidade cefálica (cavidade oral) até a caudal (ânus).


















Cavidade Bucal


A boca é um espaço oco - por isso, é denominada indistintamente de cavidade bucal ou oral. Forrada em todo o seu interior por uma delicada mucosa de cor avermelhada e sempre lubrificada pela saliva, compreende diversas estruturas que a delimitam e permitem que efetue as suas diversas funções.


Divisões da Cavidade Bucal

Vestíbulo Bucal

Processo alveolar e arcos dentais

Cavidade bucal propriamente dita

Anterior - Lábios

Posterior - Istmo orofaríngeo

Lateral - Bochecha

Superior – Palato

Inferior - Língua e Assoalho






Lábios

Os lábios são duas pregas carnudas compostas basicamente por fibras musculares, cobertas por pele na parte exterior e por mucosa na parte interior. A sua cor avermelhada deve-se à grande vascularização da mucosa, que dispõe também de numerosas terminações nervosas responsáveis pela sua grande sensibilidade. Os lábios têm funções muito variadas: participam na alimentação e na emissão dos sons, mas também cumprem um destacado papel sensorial.

 

Parede Anterior – Lábios

Anatomia de Superfície

Sulco naso-labial, filtrum, sulco mento labial, comissuras bucais, stomios.

 

Estratigrafia

Pele, subcutâneo, músculos, submucosa, mucosa















Músculos dos Lábios

Constrictor - orbicular da boca

Dilatadores do lábio superior:

Elevador do lábio superior, da asa do nariz, elevador do ângulo da boca, zigomático menor, zigomático maior.

 

Dilatadores do lábio inferior: 

Depressor do ângulo da boca, depressor do lábio inferior, mentual.

 




Bochechas

As bochechas estão em ligação direta com os lábios a apresentam também uma superfície cutânea e outra mucosa. A camada muscular da bochecha é representada principalmente pelo músculo bucinador.

 





Na mucosa jugal (da bochecha) localizam-se as glândulas salivares genianas (1 a 3 mm); na altura do dente segundo molar superior observa-se, de cada lado, uma pequena papila com o orifício de abertura do canal excretor da correspondente glândula parótida.




Palato 

O palato é uma membrana que separa a cavidade bucal das fossas nasais e onde se distinguem duas partes:

O palato duro, também conhecido como abóbada palatina, a que correspondem os dois terços anteriores, tem uma forma arqueada e é constituído pela união dos ossos maxilar superior e palatino. A sua superfície é forrada pela mucosa oral e continua diretamente para a parte interna da gengiva superior. O centro está dividido por uma proeminência linear conhecida como cordão palatino, correspondente à união dos ossos palatinos.

O palato mole, também denominado véu palatino, ao qual corresponde o terço posterior, é uma estrutura suave e parcialmente móvel, que separa a cavidade bucal da faringe num estreitamento denominado istmo das fauces. É composto por fibras musculares cobertas pela membrana mucosa e dispõe de estruturas particulares na borda inferior: os pilares do véu palatino, duas colunas que constituem os limites laterais do istmo das fauces, e a úvula, pequena formação que pende para a parte central.

Enquanto que o palato duro serve para oferecer uma certa resistência à língua durante a mastigação e a deglutição, o palato mole encarrega-se de bloquear a passagem dos alimentos para as fossas nasais no momento de os engolir.

 

 



Musculatura do palato mole



GENGIVAS E DENTIÇÕES:

 

Gengiva

A gengiva é formada por tecido fibroso coberto por mucosa. Está subdividida em gengiva propriamente dita, gengiva fixa, e em gengiva livre.

A gengiva fixa está firmemente presa aos processos alveolares da maxila e mandíbula e aos colos dos dentes. Ela é rósea, pontilhada e queratinizada.

A mucosa alveolar ou gengiva livre é, normalmente, vermelho-brilhante e não queratinizada.






Dentes

O ser humano apresenta duas dentições, a decídua, também conhecida como a dos dentes de "leite" e a definitiva. Ambas diferenciam-se pela anatomia dental e pelo número de dentes apresentadas.

 

a) Dentição decídua- - características:

apresenta 5 dentes por hemiarcada: incisivo central, incisivo lateral, canino , primeiro e segundo molares, os dentes possuem coloração mais clara, raízes divergentes, são menores do que os definitivos

b) Dentição definitiva - características:

apresenta geralmente,8 dentes por hemiarcada: incisivo central, incisivo lateral, canino, primeiro e segundo pré-molares, primeiro, segundo e terceiro molar por hemiarcada. A presença do terceiro molar é facultativa as raízes são convergentes, os dentes são maiores e mais escuros do que nos decíduos.

Nomenclatura dental:

Para compreensão de um odontograma, primeiramente dividiremos os arcos dentários em 4 quadrantes, 2 superiores e 2 inferiores. Cada quadrante receberá uma numeração correspondente. Assim, o quadrante superior direito recebe o número 1, o superior esquerdo o número 2, o inferior esquerdo o número 3 e o inferior direito o número 4, conforme segue abaixo:

Superior direito - 1

Superior esquerdo - 2

Inferior esquerdo - 3

Inferior direito – 4

 

A seguir, cada elemento dentário receberá uma numeração correspondente:

1 - incisivo central,

2 - incisivo lateral,

3 - canino,

4 - primeiro pré-molar,

5 - segundo pré-molar,

6 - primeiro molar,

7 -segundo molar

8 - terceiro molar


















Língua

A língua apresenta uma forma larga e cônica, sendo mais achatada na ponta, da parte posterior do pavimento bucal e estende-se, longitudinalmente, à cavidade bucal. A raiz, a que correspondem 2/3 posteriores, é o sector mais amplo, permanecendo fixa, enquanto que o corpo, sector que pode ser apreciado à vista desarmada, é mais estreito e móvel. Na sua descrição, podem-se diferenciar várias zonas: o dorso ou parte superior, onde se encontra o sulco médio, a parte inferior, as bordas e a ponta.

A espessura da língua é formada por diversos músculos, que fixam o órgão aos ossos e às cartilagens adjacentes à sua base, proporcionando-lhe a sua extraordinária capacidade de movimento em todas as direções.

A superfície está coberta pela mucosa lingual, rica em vasos sanguíneos e terminações nervosas. Para, além disso, sobre o dorso, encontram-se milhares de pequenas estruturas especializadas na percepção do gosto, as papilas gustativas, das quais existem inúmeros tipos, de acordo com o seu maior ou menor grau de reação aos diferentes sabores.

Por último, na parte posterior encontra-se a amídala lingual, composta por numerosos folículos linfáticos, pertencentes ao sistema imunitário.

A língua é o único músculo voluntario do corpo humano que não fadiga. Este órgão é essencial para o começo do processo de digestão, moldando e guiando o alimento, além também, de estar relacionado ao sentido do paladar e da formação de fonemas da fala. Nos mamíferos, este músculo encontra-se conectado à cartilagem hioide, mandíbula e aos processos estiloides do osso temporal. 

A língua é formada por quatro músculos intrínsecos: longitudinal superior, longitudinal inferior, transverso e o vertical. São responsáveis por encurtar, estreitar e achatar a língua.
• Longitudinal superior: descrito como uma fina camada de fibras musculares oblíquas e longitudinais situadas bem abaixo da mucosa do dorso da língua. Quando contraído, tende a encurtar a língua, virando o ápice para cima.
• Longitudinal inferior: estende-se da raiz ao ápice da língua, ao se contrair, encurta a língua ou empurra o ápice para baixo.
• Transverso: distribui-se em forma de leque, originando-se no septo da língua e fazendo trajeto diretamente para a lateral. Sua contração faz com que a língua se estreite e alongue.
• Vertical: suas fibras originam-se na mucosa do dorso da língua. Quando contraído achata a língua.


Músculos extrínsecos da língua
São quatro os músculos extrínsecos da língua: 

• Genioglosso: compõe a massa do tecido lingual, é o mais forte e o maior dos músculos extrínsecos. Sua forma é chata e triangular, originando-se na espinha mentoniana superior indo até o osso hioide. É responsável por várias posições da língua. Quando as fibras posteriores se contraem, anteriorizam a língua, já a contração das fibras anteriores é responsável pela contração de todo o músculo, levando a língua para baixo, deixando o dorso como uma canaleta.
• Estiloglosso: emerge nos processos estiloides. Sua contração leva a língua para cima e para trás, sendo considerado antagonista do genioglosso. Também pode auxiliar os músculos intrínsecos a tornar o dorso côncavo ou em forma de canaleta, quando eleva os lados da língua.
• Palatoglosso: pode ser considerado um músculo da língua ou do palato. Sua origem é na face anterior do palato mole, onde tem continuidade com seu par do lado oposto. Suas fibras vão para baixo e um pouco para lateral, inserindo-se nos lados da língua, mesclando-se e tornando-se contínuas com as dos músculos transverso da língua e com as fibras superficiais dos músculos estiloglosso e hioglosso. Sua contração pode abaixar o palato mole ou levantar a parte posterior da língua, sulcando o dorso. 
• Hioglosso: origina-se na borda superior do corno maior e do corpo do osso hioide. Quando contraído, age para retrair e deprimir a língua e elevar o osso hioideo.

A superfície ventral deste órgão é lisa, enquanto que a superfície dorsal é irregular, recoberta anteriormente por pequenas eminências denominadas papilas gustativas  (estruturas especializadas que contêm as células gustativas, capazes de detectar o sabor).  A parte dorsal pode ser dividida em duas partes: a parte oral (encontrada dentro da cavidade bucal) e a parte faríngea (terço posterior da língua). Estas duas partes são divididas por uma região em formato de “V”. Posteriormente a esta região, a superfície lingual apresenta saliências formadas, principalmente, por dois tipos de agregados linfoides e as tonsilas linguais.

 

As papilas gustativas que compõe a língua são de quatro tipos e assumem diferentes funções:

Papilas filiformes: possuem formato cônico alongado, são muito numerosas e estão espalhadas por toda a superfície dorsal da língua. São ricas em queratina e possuem poucos botões gustativos.

Papilas fungiformes: possuem formato semelhante a cogumelos, com uma base estreita e uma porção superior mais dilatada e lisa. Estas papilas possuem poucos botões gustativos na sua parte superior e estão espalhadas irregularmente entre as papilas filiformes.

Papilas foliadas: nos humanos estas papilas são pouco desenvolvidas. Elas consistem em duas ou mais rugas paralelas divididas por um sulco presente na superfície dorsolateral da língua, e contêm muitos botões gustativos.

Papilas circunvaladas: estas constituem de 7 a 12 estruturas circulares grandes, da qual a superfície achatada se estende acima das outras papilas. Estão distribuídas na região do V lingual, na parte posterior da língua. Cada uma das papilas circunvaladas são rodeadas por diversas depressões onde glândulas serosas, as glândulas de Von Ebner, secretam seu conteúdo em seu interior. Este arranjo semelhante a um fosso possibilita um fluxo contínuo de líquido sobre um grande número de botões gustativo presentes ao longo das superfícies laterais destas papilas, sendo que este se faz importante na remoção de partículas de alimento presentes ao redor dos botões gustativos. Isto é muito importante no mecanismo de processamento de novos estímulos por essas estruturas. As glândulas de Von Ebner também secretam uma lípase que provavelmente previne a formação de uma camada hidrofóbica sobre os botões gustativos. Além de desempenhar este papel na língua, quando chega ao estômago, a lípase lingual é ativada podendo digerir até 30% dos triglicerídeos presentes nos alimentos.

Existem, pelo menos, quatro percepções de sabor pelos humanos: salgado, azedo, doce e amargo. Todas elas podem ser percebidas em todas as regiões linguais que possuem botões gustativos. Estas estruturas são encontradas sobre uma lâmina basal e possuem microvilosidades em seu ápice que se projetam por uma abertura (poro gustativo). Substâncias dissolvidas na saliva conectam as células gustativas através do poro, interagindo com receptores gustativos (sabores doce e amargo) ou canais iônicos (sabores salgado e azedo) na superfície celular. Como resultado, há a despolarização das células gustativas, gerando uma liberação de neurotransmissores que estimularão fibras nervosas aferentes ligadas a estas células. Em seguida, haverá o processamento desta informação pelos neurônios gustativos centrais.

O freio lingual, ou frênulo da língua, conecta esta ao assoalho da boca, permitindo o movimento livre da língua. Não se trata de tecido muscular, mas uma prega mediana de túnica mucosa que passa da gengiva para a face posteroinferior da língua e recobre a face lingual da crista alveolar anterior. O freio lingual é formado por tecido conjuntivo fibrodenso e, muitas vezes, por fibras superiores do músculo genioglosso.



GLÂNDULAS SALIVARES

São um conjunto de glândulas que se encarregam da elaboração da saliva, um líquido alcalino, claro e algo viscoso, composto basicamente por água, sais minerais (sódio, potássio, cloro), mucina, glóbulos brancos e enzimas, como a lisozima, que ataca as bactérias, e a ptialina (ou alfa-amilase), que se inicia já na boca a digestão dos amidos.

Existem imensas pequenas formações glandulares produtoras de saliva, amplamente distribuídas pela cavidade bucal, mas as principais são três pares de glândulas salivares que, através de canais específicos, drenam as suas secreções para o interior da boca: as glândulas parótidas, situadas em ambos os lados da cara, abaixo e em frente dos ouvidos; as glândulas submaxilares, localizadas na parte posterior do pavimento bucal, abaixo da maxila; e as glândulas sublinguais, situadas na parte anterior do pavimento bucal, debaixo da língua.

 

Faringe

A faringe é um tubo músculo-membranoso que possui 12 a 13 cm de comprimento e está localizado atrás da cavidade nasal, atrás da cavidade oral e atrás da cavidade da laringe. Ela inicia na base do crânio e vai até a borda superior da cartilagem cricóide, onde inicia o esôfago. Sua parede é composta por músculos esqueléticos e revestida por uma túnica mucosa. A faringe funciona como uma passagem de ar e alimento.

A faringe é dividida em 3 partes: nasal, oral e laríngea

A parte nasal fica posterior ao nariz e acima do palato mole. Tem função respiratória. É a extensão posterior das cavidades nasais. O nariz se abre na nasofaringe através de coanos. O teto e a parede da nasofaringe formam uma superfície continua que se situa abaixo do corpo do esfenoide e da parte basilar do occipital.

O tecido linfoide da faringe forma um anel tonsilar incompleto junto da parte superior da faringe, é o anel linfático da faringe ou de Waldeyer, a parte ântero-inferior do anel é formado pela tonsila lingual, que fica na parte posterior da língua. As partes laterais são formadas pelas tonsilas palatinas e tubária e as partes posterior e superior são formadas pela tonsila faríngea.

O tecido Linfoide é agregado em massas chamadas de tonsilas. A tonsila faríngea (adenoide) encontra se na túnica mucosa do teto da parede posterior da nasofaringe. Estendendo-se inferiormente a partir da extremidade medial da tuba auditiva encontra-se uma prega vertical de túnica mucosa, a prega salpingofaríngea. Ela recobre o músculo salpingofaríngeo, que abre o óstio da tuba auditiva durante a deglutição. A coleção de tecido linfóide na túnica submucosa da faringe próxima ao óstio faríngeo da tuba auditiva é a tonsila tubária. Atrás do toro tubário e da prega salpingofaríngea encontra-se uma projeção lateral da faringe em forma de fenda, o recesso faríngeo.

A parte oral da faringe tem uma função digestória. É limitada pelo palato mole, base da língua e pelos arcos palatoglosso e palatofaríngeo. Estende-se do palato mole até a margem superior da epiglote. As tonsilas palatinas ficam de cada lado da orofaringe, no intervalo entre os arcos palatinos. O leito tonsilar, no qual a tonsila palatina se situa, é formado pelo músculo constritor superior da faringe e pela fina lâmina fibrosa da fáscia faringobasilar. Esta lâmina se funde com o periósteo da base do crânio e define os limites da parede faríngea na sua parte superior.

A parte laríngea da faringe situa-se atrás da laringe e estende-se da margem superior da epiglote e das pregas faringoepiglóticas até a margem inferior da cartilagem cricóidea. Posteriormente, e a parte laríngea da faríngea está relacionada com os corpos das vértebras C4 até C6. Suas paredes posterior e lateral são formadas pelos mm. constritores médio e inferior, e, internamente, a parede é formada pelos músculos Palatofaríngeo e estilofaríngeo. Ela se comunica com a laringe através do ádito da laringe.

O recesso piriforme é uma pequena depressão da cavidade laringofaríngea em ambos os lados do ádito da faringe. Esse recesso revestido por mucosa é separado do adito da laringe pela prega ariepiglótica. Lateralmente, o recesso piriforme é limitado pelas faces mediais da cartilagem tireoidea e pela membrana tireohióidea. Os ramos internos do nervo laríngeo superior e os ramos do n. laríngeo recorrente se situam profundos à túnica mucosa do recesso piriforme e são vulneráveis à lesão quando um corpo estranho se aloja no recesso.

Músculos da faringe

É composta principalmente de uma camada de músculo circular externa e uma camada de m. longitudinal interna. A circular consiste em 3 constritores, a interna (longitudinais) em palatofaríngeo, estilofaríngeo e salpingofaríngeo. Estes músculos elevam a laringe e encurtam a faringe na deglutição e fonação. Os constritores têm um forte revestimento fáscial interno, a fáscia faringobasilar, e um revestimento fascial externo fino, a fáscia bucofaríngea. Os constritores se contraem voluntariamente.

Todos os 3 constritores são supridos pelo plexo nervoso faríngeo que é formado pelos ramos faríngeos do vago e glossofaríngeo e pelos ramos simpáticos do gânglio cervical superior. Este plexo fica na parede lateral da faringe, principal no músculo constritor médio.

A justaposição dos mm. constritores deixa 4 espaços para as estruturas entrarem ou saírem da faringe. São: (1)entre o m. constritor superior e o crânio, passam o m. levantador do véu palatino, a tuba auditiva e a a. palatina ascendente; (2)entre os mm. constritores superior e médio, forma uma abertura para a cavidade da boca, passam o m. estilofaríngeo, o n. glossofaríngeo e o ligamento estilo-hióideo; (3)entre os constritores médio e inferior, passam o n. laríngeo superior e a. e v. laríngeas superiores; (4)abaixo do constritor inferior, passam o n. laríngeo recorrente e a. laríngea inferior.












Fisiologia - Função dos Órgãos Boca e Faringe

 

Boca: Digestão Física - Mastigação: Dentes - Cortam, rasgam e trituram.

Língua - Empurra o alimento para os vários tipos de dentes, tantas vezes para o lado esquerdo como para o lado direito para não desgastar os dentes.

Músculo da Face - Movimentos musculares

Digestão Química - Insalivação (glândulas salivares e língua): Só atua no amido, transformando o polissacarídeo de amido em dissacarídeo, ou seja, 2 moléculas de maltose. O que atua neste processo é a amilose salivar. A saliva é composta por água e amilose e tem ph neutro.

Deglutição: Processo físico que consiste na passagem do bolo alimentar da boca para o esôfago. Intervêm a língua, o véu do paladar e a epiglote. O que se passa nesta fase é o seguinte: a língua contrai e empurra os alimentos para trás, o véu do paladar levanta e fecha a comunicação com as fossas nasais, a epiglote fecha a comunicação com a traqueia. Este processo só termina quando o bolo alimentar chega ao esôfago.

 

 

A laringe possui basicamente 3 funções:

Respiratória: faz parte do trato respiratório participando da condução do ar para dentro dos pulmões. As contrações dos músculos abdutores agem nessa fase afastando as aritenóides e com isso as pregas vocais.

Esfincteriana: durante a fase laríngea da deglutição as cordas vocais se aproximam, a laringe é puxada para cima e para frente e a epiglote se dobra para trás fechando a entrada da laringe. O esficter esofagiano superior se relaxa, e o esôfago se abre fazendo com que o bolo alimentar seja direcionado para o esôfago, ficando a via aérea protegida.

O esfíncter glótico atua ainda no mecanismo da tosse, permitindo a formação de pressão positiva intensa infraglótica; com a abertura abrupta da glote, a coluna aérea é expelida com vigor, levando junto detritos e secreções.

Fonatória:atua como órgão gerador do som durante a fonação por meio da vibração das cordas vocais. Durante a fonação a contração dos músculos adutores aproximam as pregas vocais, e a pressão do ar expirado produz movimentos ondulatórios sucessivos no plano horizontal, entrecortando o fluxo aéreo e produzindo o tom fundamental da voz. Esse som gerado na laringe pode ser modificado na sua passagem pelo nariz e boca pela movimentação dos lábios, língua e palato produzindo os sons da fala.














Bibliografia

 

http://www.icb.ufmg.br/mor/mof011/cavidadebucal.pdf

http://www.medipedia.pt/home/home.php?module=artigoEnc&id=5

http://pt.scribd.com/doc/33802716/Anatomia-e-Fisiologia-Do-Palato-Mole

http://www.jornallivre.com.br/90206/anatomia-da-lingua-humana.html

http://www.infoescola.com/anatomia-humana/lingua/

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/corpo-humano-sistema-digestivo/corpo-humano-sistema-digestivo-faringe.php

http://goncaloferreira33.blogspot.com.br/2009/03/fisiologia-da-boca.html

http://www.dgsotorrinolaringologia.med.br/apost_laringe.htm

 

São Paulo / SP
Especialização: Empreendedorismo (Universidade Brasil)
Professora de espanhol e português para estrangeiros com mais de 6 anos de experiência!
Oferece aulas online (sala profes)
R$ 40 / aula
Conversar Whatsapp do professor Jacquelyne N. Whatsapp do professor Jacquelyne N. Ver WhatsApp
1ª aula demonstrativa
Cadastre-se ou faça o login para comentar nessa publicação.

Listas de exercícios, Documentos, Revisões de textos, Trabalhos?

Se seu problema for dificuldade em uma lista de exercícios, revisão de teses e dissertações, correção de textos ou outros trabalhos, peça uma ajuda pelo Tarefas Profes.

Enviar Tarefa

Confira artigos similares

Confira mais artigos sobre educação

Ver todos os artigos

Encontre um professor particular

Busque, encontre e converse gratuitamente com professores particulares de todo o Brasil