Função exponencia e equação polinomial

A função F (X) = A.B ^X + C ( Função Exponencial).
Possui gráfico decrescente cortado no eixo y no ponto (0,3) .


A função é decrescente e quando X = 0, B = 1 
mas se a função é decrescente quando X = 0 
então - B elevado 0 = -1 ?


como obtenho a lei de formação dessa função ? 
que propriedade define que o valor de A > 0, A = 0 ou A < 0 ? 
como sei que o valor de C > 0 , C = 0 ou C < 0 ?


Questão 03 :
https://ingresso.ifrs.edu.br/2015/wp-content/uploads/sites/2/2014/09/2014_02_-Prova-superior-completa.pdf

Luis Rodrigues
Luis
perguntou há 5 meses

Sabe a resposta?

Ganhe 10 pts por resposta de qualidade
1 resposta
Professor Gustavo Schardong
Respondeu há 5 meses

Você tem familiaridade com cálculo??? Vou utilizar limites e derivadas para a resposta. O gráfico nos dá as seguintes informações:


(i) Conforme x -> ∞, f(x) -> 1
(ii) f(0) = 3
(iii) f(x) > 0, para todo x real
(iv) f é estritamente decrescente


De (ii), temos que:
f(0) = a.b^0 = 3
a.1 + c = 3
a + c = 3


Como f é estritamente decrescente, então uma transformação monotônica crescente sobre f será decrescente. Como f é sempre positiva, podemos aplicar a função ln nesta, ou seja, podemos definir:
g(x) = ln[f(x)] - c
g(x) = ln(a.b^x)
g(x) = ln(a) + ln(b^x)
g(x) = ln(a) + x.ln(b)


É importante notar 2 coisas:
- Por f ser positiva, temos que g está bem definida, ou seja, ln(a) e ln(b) existem e são reais, logo a > 0 e b > 0.
- g tem a forma A.x + B, em que A = ln(a) e B = ln(b), ou seja, g é uma reta. Para g ser decrescente, devemos ter B < 0 => ln(b) < 0 => b < 1.


Com estes 2 pontos, temos que a > 0 e 0 < b < 1.


Como sabemos que 0 < b < 1, então a.b^x -> 0 quando x -> ∞. Logo f(x) -> c = 1, pela condição (iv). Como a + c = 3 => a = 2.



____________________________________________________________________________________________


Resposta alternativa (sem cálculo)


Primeiro note que se a = 0, b = 0 ou b = 1, f seria constante. Logo, podemos eliminar estes casos.


Suponha que b < 0. Então temos que


- b^i < 0, para i = 1,3,5,7,... .
- b^j > 0, para j = 2,4,6,8,... .


Se a > 0, então a.b^2 > 0 e, portanto, f(2) = a.b^2 - c > f(0) => f não é decrescente
Se a < 0, então a.b^1 > 0 e, portanto, f(1) = a.b^1 - c > f(0) => f não é decrescente


Logo temos que b não pode ser menor do que 0, então b > 0.


Se b > 1, então b^x não converge, logo não existiria a assíntota. Então temos que 0 < b < 1. Logo a.b^x converge para 0, então f(x) converge para c. Pelo gráfico, f converge para 1, ou seja, c = 1.


Se a < 0, a função seria crescente (pois 0 < b < 1), logo a > 0.


Então temos que:
a > 0
0 < b < 1
c = 1

Professores particulares de Matemática

+ Ver todos
Encontre e contrate um professor particular para te ajudar nos estudos.

Pergunte aos nossos professores

Você possui uma lista de exercícios ou Trabalho?

Se seu problema for dificuldade em uma lista de exercícios, revisão de teses e dissertações, correção de textos ou outros trabalhos, peça uma ajuda pelo Tarefas Profes.

Enviar Tarefa