FILÓSOFOS: SUBSÍDIO PARA DISSERTAÇÃO
Por: Maria T.
07 de Julho de 2024

FILÓSOFOS: SUBSÍDIO PARA DISSERTAÇÃO

Português

https://pt.scribd.com/document/725316635/filosofos-dissertacao

https://pt.scribd.com/docx

FILÓSOFOS: SUBSÍDIOS PARA DISSERTAÇÃO

Conceito de verdade

Conteúdo abordado desde os filósofos gregos clássicos, como Sócrates, com sua emblemática frase “Só sei que nada sei”, até a filosofia moderna.

Os principais pressupostos sobre o assunto concentram-se em discutir sobre a variabilidade da verdade e como isso é dependente do contexto social, histórico, pessoal e religioso do indivíduo, por isso, de acordo com vários filósofos, não existem verdades absolutas.

O conceito de verdade pode compor redações que tenham como tema aprovação de leis, aborto, pena de morte, armamento da sociedade, internação involuntária de dependentes químicos, pois, em algum momento da produção, a argumentação sobre o que é verdadeiro ou não, certo ou errado, deverá aparecer.

Direitos humanos

Esse tópico dispensa qualquer tipo de apresentação, já que o respeito aos direitos humanos é um conceito tão importante que se constitui até como critério avaliativo das redações.

Basicamente, falar sobre direitos humanos é sinônimo de afirmar que todas as pessoas, independentemente de credo, raça, posição social, gênero, opção sexual, idade, cor, têm direitos assegurados pela lei e que são indiscutíveis. Ficou fácil de perceber em quantos temas esse conceito pode ser incluído, não é mesmo? Qualquer assunto que trate sobre a preservação da vida ou acesso a direitos básicos, como saúde, moradia e educação, pode trazer os direitos humanos como suporte de argumentação.

Relacionado a isso, esses conteúdos são úteis:

 

Democracia e cidadania

Na Grécia Antiga, Platão e Aristóteles já refletiam sobre questões politicamente relevantes para sua época e sociedade, definindo conceitos sobre democracia e cidadania que são válidos até hoje. A contribuição platônica e aristotélica foi tão socialmente significativa que eles são considerados os mestres do pensamento político e social.

Em A República, Platão afirma que a sociedade deveria ser dirigida pelos filósofos, já que eles eram capazes de refletir sobre a realidade e contribuir com uma estrutura mais justa para todos os cidadãos. Já em A Política, Aristóteles, discípulo de Platão, afirma que o homem nasceu para viver em sociedade e que a cidade (pólis) seria o local ideal para que o indivíduo desenvolvesse todas as suas habilidades.

Propostas de intervenção que envolvam o exercício da cidadania e o papel da democracia como elemento essencial para o bem-estar social podem facilmente envolver os pensamentos de Platão e Aristóteles com relação à democracia e cidadania.

 

Cultura e educação

A proposta da redação traz como elemento central a cultura ou a educação? Cite Nietzsche durante seu desenvolvimento, pois a cultura e o acesso à educação são os temas centrais de sua filosofia.

O filósofo alemão Friedrich Nietzsche afirma que, para o homem ser pleno, a cultura e a educação são fundamentais. Por cultura, ele entende que ela é uma fusão harmoniosa e equilibrada do físico, psíquico e intelectual do homem, o que o tornaria um ser pleno e que somente o educador poderia ajudar a formar a plenitude no homem, porém, de acordo com o alemão, essa plenitude não é destinada a todos, mas a uma aristocracia.

Além de Nietzsche, você pode encontrar outros pareceres sobre cultura e educação no projeto filosófico de Platão, Aristóteles e Hegel, além de inúmeros pensadores modernos.

Ainda sobre cultura e educação:

 

Poder

Com a extrema polarização política e social pela qual temos passado ultimamente, uma requisição de redação relacionada ao poder – seja ele com relação ao exercício ou ao abuso – é algo provável de se acontecer, tanto que um tema bastante cotado para o ano de 2019 é justamente os prejuízos trazidos pela polarização política no Brasil.

Em se tratando de filosofia, um dos autores que mais se debruçou sobre o assunto foi Michel Foucault. O teórico social, filólogo, filósofo e historiador das ideias francês afirmava, em seus estudos, que o poder é a base inevitável de todas as relações humanas, das mais simples às mais complexas, sendo ignorância considerar que o poder pertence apenas às grandes instituições, como a Igreja ou o Estado.

Outro ponto extremamente relevante de suas produções é que, de acordo com o autor, para todo o exercício de poder, forma-se um contra-poder, ou seja, um movimento de resistência.

Bondade do homem

Você já viu esta afirmação em algum lugar “O homem é naturalmente bom, a sociedade é que o corrompe”? O afamado pensamento pertence a Jean-Jacques Rousseau e compõe sua teoria do bom selvagem.

Segundo Rousseau, viver em sociedade deturpa os bons valores dos homens, fazendo com que ele se torne corrupto, por isso, sua proposta é que todos os homens deveriam viver como selvagens, conduzidos apenas por seus sentimentos naturais. Como isso não é possível de se efetivar, o filósofo é categórico em culpar a sociedade e os conflitos de interesse entre homens pela divisão e corrupção dos indivíduos.

A produção textual tem como proposta algo que vincule a pessoa e a sociedade? Aposte nesse pensador para te ajudar no processo de escrita.

Justiça

Outro conceito amplamente presente na filosofia de Aristóteles. Para ele, a justiça é a virtude que diz respeito à organização de nosso relacionamento com as demais pessoas. Não se trata exatamente de fornecer a mesma coisa a todos, mas de dar a cada um aquilo que lhe é realmente necessário e esse seria o conceito de tratar igualmente.

Direitos iguais e acesso aos direitos por todos são assuntos que permitem discutir a ideia de “igualdade”, normalmente abordada pelo viés da generalidade (fornecer as mesmas coisas a todos) e não da individualidade (fornecer algo de acordo com a necessidade individual).

 

Alienação

Mesmo sendo um projeto filosófico elaborado por Karl Marx no século XIX, a alienação ainda é extremamente pertinente. Para o filósofo alemão, o sistema do capitalismo era a raiz de muitos males, já que por conta dele alguns poucos proprietários dos meios de produção se beneficiavam do trabalho (muitas vezes explorador) dos trabalhadores. Os trabalhadores, por sua vez, percebem o trabalho como um peso, um castigo, algo que serve apenas para lhes fornecer um salário.

Relações de trabalho, aumento do número de desempregados no país, novas leis trabalhistas e distribuição da riqueza são assuntos que permitem facilmente a inclusão das ideias de Karl Marx sobre a alienação.

Essas são só algumas sugestões de assuntos e pensadores que podem te ajudar a construir uma redação de sucesso. A filosofia é muito rica e sempre pode funcionar como auxiliar no desenvolvimento de argumentos.

 


Filosofia Antiga

 

  1. "Nada é permanente, exceto a mudança." (Heráclito de Éfeso)

Heráclito (540 a.C.-470 a.C.) também é favorável à ideia de que tudo está em constante movimento, tudo está em constante transformação.

Reforçando a ideia da mudança (devir), Heráclito afirmou também a impossibilidade de se entrar num mesmo rio duas vezes. Ao retornar, o rio e suas águas já estariam mudados, já seria outro rio, pois tudo o que existe está em constante transformação.

  1. "O ser é e o não-ser não é." (Parmênides de Eleia)

Nesta frase, famosa e enigmática, Parmênides (530 a.C.-460 a.C.) afirma que, ao contrário do pensamento de Tales e Heráclito, o movimento e a transformação são apenas ilusórios.

Assim, tudo é imóvel e imutável, tudo permanece.

  1. "Só sei que nada sei." (Sócrates)

A frase dita por Sócrates (469 a.C.-399 a.C.) é, provavelmente, a frase mais famosa da história da filosofia. Nela, Sócrates chama a atenção para a sabedoria contida na ignorância. Para ele, não saber é muito melhor que saber mal.

Essa frase é o espírito do método socrático (ironia e maiêutica). O objetivo da ironia é abandonar os preconceitos e falsas certezas, estar consciente da própria ignorância ("nada saber"). A partir daí, buscar um conhecimento verdadeiro.

  1. "Uma vida sem reflexão não vale a pena ser vivida." (Sócrates)

Segundo Platão, esta frase foi dita por Sócrates após ter sido julgado e sentenciado à morte. Traz consigo o porquê da filosofia, o questionamento e a reflexão, que são os motores da atitude filosófica.

 

 

 

Filosofia Medieval

 

  1. "Creio para compreender e compreendo para crer melhor."(Santo Agostinho)

Para os filósofos da Idade Média, a razão estava subordinada à fé. Para Santo Agostinho (354-430), conhecimento mais puro e nobre era o conhecimento vindo das escrituras (Bíblia Sagrada).

  1. "O desordenado amor por si mesmo é a causa de todos os pecados." (São Tomás de Aquino)

São Tomás de Aquino (1225-1274) buscava fazer uma união entre a filosofia aristotélica e a religião cristã. Buscou elaborar provas racionais para a existência de Deus ("Cinco Provas da Existência de Deus").

Filosofia Moderna

 

  1. "Penso, logo existo." (Descartes)

Para o "pai do pensamento moderno", René Descartes (1596-1650), tudo pode ser posto em dúvida. Sendo assim, a primeira certeza que se tem é o fato de poder duvidar.

A dúvida nasce do pensamento. Deste modo, para o filósofo, o pensamento (razão) é a única fonte segura de conhecer a realidade.

A esta forma de interpretar a realidade chamou-se racionalismo.

  1. "O homem é o lobo do homem." (Hobbes)

O filósofo inglês Thomas Hobbes (1588-1679) afirma que os grandes inimigos dos seres humanos são eles próprios, por serem naturalmente violentos.

E, com medo de uma morte violenta em uma guerra de todos contra todos, os seres humanos preferem fazer um pacto ou contrato social com o objetivo de garantir a sua segurança e de seus bens. Assim, surge o Estado como o garantidor da ordem.

  1. "Onde não há lei, não há liberdade." (Locke)

John Locke (1632-1704) acredita que o Estado surge para garantir, através das leis, os direitos naturais dos indivíduos, principalmente, o direito natural à propriedade.

Esta teoria serviu de base para o desenvolvimento do liberalismo.

  1. "O homem nasceu livre, e em toda parte se encontra acorrentado." (Rousseau)

Para o filósofo francês Jean-Jacques Rousseau (1712-1778), o ser humano é bom por natureza. Entretanto, sente a necessidade de associar-se com outros indivíduos.

Realiza o pacto social e, com isso, abandona sua liberdade natural e em retorno recebe a liberdade civil, que está limitada à vontade geral e à liberdade dos outros indivíduos.

  1. "Não é da benevolência do padeiro, do açougueiro ou do cervejeiro que eu espero que saia o meu jantar, mas sim do empenho deles em promover seu auto interesse." (Adam Smith)

O filósofo britânico Adam Smith (1723-1790) é o pai do liberalismo econômico. Ele afirmava que os indivíduos tendem a lutar pelos seus próprios interesses. Sem o auto interesse, nada poderia garantir que os indivíduos se dispusessem a qualquer tipo de produção.

Essa potência seria a fonte para a riqueza das nações, o motor necessário para a produção e para a eficiência de uma sociedade.

Veja também: Liberalismo Econômico

  1. "O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele." (Kant)

O filósofo prussiano Immanuel Kant (1724-1804) possui em sua filosofia uma forte marca dos ideais do Iluminismo. Com isso, a busca pelo conhecimento (a luz do iluminismo) é uma diretriz de seu pensamento.

 

 

 

 

Filosofia Contemporânea

 

  1. "Existe apenas um único erro inato, que é o de acreditarmos que vivemos para sermos felizes." (Schopenhauer)

O filósofo alemão Arthur Schopenhauer (1788-1860) é conhecido como o "filósofo do pessimismo". Afirmou que a vida é sofrimento e que a busca pela felicidade é um caminho para a frustração.

A felicidade é, para ele, um momento efêmero em meio ao sofrimento e nunca deve ser entendida como uma constante.

  1. "O que não provoca minha morte faz com que eu fique mais forte."(Nietzsche)

Friedrich Nietzsche (1844-1900) acreditava na potência humana, na "vontade de poder" como uma maneira de "viver a vida como obra de arte".

Nietzsche afirma que o indivíduo deve ser um poeta da própria vida, capaz de vivê-la da forma mais bela possível. É dele também a frase que afirma que "Deus está morto".

  1. "A história da sociedade até aos nossos dias é a história da luta de classes." (Marx)

Karl Marx (1818-1883) foi o responsável pela estruturação da teoria da luta de classes. Para ele, Estado, historicamente, se desenvolveu a partir do conflito entre grupos sociais antagônicos, privilegiando o interesse das elites.

Uma minoria dominante (a burguesia) controla os meios de produção e, a partir daí, exerce seu poder sobre

  1. "Os limites de minha linguagem significam os limites de meu mundo." (Wittgenstein)

Ludwig Wittgenstein (1889-1951) foi um outro pensador austríaco que representou uma viragem da filosofia para a linguagem.

Para o filósofo, a compreensão do mundo passa pelo uso da linguagem. Portanto, a linguagem é a forma pela qual interpreta-se o mundo.

  1. "O consumidor não é soberano, como a indústria cultural queria fazer crer; não é o seu sujeito, mas o seu objeto." (Adorno)

O filósofo Theodor Adorno (1906-1969), um dos principais expoentes da Escola de Frankfurt, teceu duras críticas ao que chamou de indústria cultural.

Para ele, o sistema capitalista, através de sua indústria cultural, apropriou-se de formas de cultura para a produção de bens de consumo (produtos). Esses produtos possuem uma aparência de cultura, mas, na verdade, não passam de objetos consumíveis que visam o lucro e fomentam o mercado.

Veja também: Escola de Frankfurt

  1. "Não se nasce mulher: torna-se." (Beauvoir)

Esta célebre frase da pensadora francesa causou bastante repercussão e discussões acaloradas por estar presente na prova do Enem de 2015.

Nela, para além do feminismo, Simone de Beauvoir (1908-1986) afirma seu pensamento existencialista. Reforça a existência com um caráter condicionante à compreensão do indivíduo.

Veja também: Feminismo

  1. "O importante não é aquilo que fazem de nós, mas o que nós mesmos fazemos do que os outros fizeram de nós."(Sartre)

O existencialista francês Jean-Paul Sartre (1905-1980) nega a possibilidade de neutralidade diante do mundo.

O pensador nos atenta para a nossa condição de sujeitos livres, obrigados a realizar escolhas a todo momento, estando os seres humanos "condenados à liberdade".

Veja também: Existencialismo

  1. "A única coisa que podemos ter certeza, é a incerteza." (Bauman)

O sociólogo polonês Zygmunt Bauman (1925-2017) desenvolveu uma importante teoria sobre os dias de hoje. Segundo ele, abandonamos a solidez característica da modernidade anterior.

Nossas relações foram liquefeitas e vivemos em uma modernidade líquida. Segundo ele, trata-se de um tempo em que as relações assumem uma característica de fluidez e frágil estabilidade e que nada é feito para durar.

Veja também: Filosofia Contemporânea

Proposta de Exercício: Redação Enem 2018

Na redação do Enem de 2018, as redações que obtiveram nota 1000 (nota máxima) deixaram clara a necessidade de realização da intertextualidade.

Os estudantes receberam o tema "manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet" e buscaram relacionar os textos de apoio com alguns elementos da literatura, cultura pop e fundamentações teóricas baseadas na filosofia e na sociologia.

Vejamos os exemplos:

Exemplo 1

Cabe mencionar, em segundo plano, quais os interesses atendidos por tal controle de dados. Essa questão ocorre devido ao capitalismo, modelo econômico vigente desde o fim da Guerra Fria, em 1991, o qual estimula o consumo em massa. Nesse âmbito, a tecnologia, aliada aos interesses do capital, também propõe aos usuários da rede produtos que eles acreditam ser personalizados. Partindo desse pressuposto, esse cenário corrobora o termo "ilusão da contemporaneidade" defendido pelo filósofo Sartre, já que os cidadãos acreditam estar escolhendo uma mercadoria diferenciada mas, na verdade, trata-se de uma manipulação que visa ampliar o consumo.
(Parágrafo da redação nota 1 000 no Enem 2018 da estudante Thais Saeger, grifo nosso)

Comentário

Em seu texto, a estudante ressaltou o pensamento de Sartre e sua relação com a liberdade.

Para o filósofo, o exercício pleno da liberdade está intrinsecamente ligado à consciência do mundo no qual está inserido. Já que os indivíduos estão "condenados à liberdade", são obrigados a realizar escolhas a todo momento. Essa obrigação faz com que o indivíduo necessite tomar consciência de si e do mundo e realizar as melhores escolhas possíveis.

Sartre ainda desenvolve o seu conceito de má-fé. Nele, o indivíduo assume uma falsa passividade como se estivesse impossibilitado de realizar escolhas, sendo conduzido a reproduzir e manter o modelo vigente.

Exemplo 2

No contexto relativo à manipulação do comportamento do usuário, pode-se citar que no século XX, a Escola de Frankfurt já abordava sobre a “ilusão de liberdade do mundo contemporâneo”, afirmando que as pessoas eram controladas pela “indústria cultural”, disseminada pelos meios de comunicação de massa. Atualmente, é possível traçar um paralelo com essa realidade, visto que milhões de pessoas no mundo são influenciadas e, até mesmo, manipuladas, todos os dias pelo meio virtual, por meio de sistemas de busca ou de redes sociais, sendo direcionadas a produtos específicos, o que aumenta, de maneira significativa, o consumismo exacerbado. Isso é intensificado devido à carência de políticas públicas efetivas que auxiliem o indivíduo a “navegar” corretamente na internet, explicando-lhe sobre o posicionamento do controle de dados e ensinando-lhe sobre como ser um consumidor consciente. (Parágrafo da redação nota 1 000 no Enem 2018 da estudante Lívia Taumaturgo, grifo nosso)

Por conseguinte, presencia-se um forte poder de influência desses algoritmos no comportamento da coletividade cibernética: ao observar somente o que lhe interessa e o que foi escolhido para ele, o indivíduo tende a continuar consumindo as mesmas coisas e fechar os olhos para a diversidade de opções disponíveis. Em um episódio da série televisiva Black Mirror, por exemplo, um aplicativo pareava pessoas para relacionamentos com base em estatísticas e restringia as possibilidades para apenas as que a máquina indicava – tornando o usuário passivo na escolha. Paralelamente, esse é o objetivo da indústria cultural para os pensadores da Escola de Frankfurt: produzir conteúdo a partir do padrão de gosto do público, para direcioná-lo, torná-lo homogêneo e, logo, facilmente atingível.

(Parágrafo da redação nota 1000 no Enem 2018 do estudante Lucas Felpi, grifo nosso)

1 – Alusão à Grécia Antiga

A Grécia é o berço da mitologia mais conhecida no ocidente e lar dos primeiros filósofos (Confira aqui os filósofos que mais caem no ENEM). Mencionar os mitos gregos, algum personagem famoso da literatura grega, etc, demonstrará domínio do tema proposto e habilidade com tipos de intertextualidade.

Facilmente a alusão histórica pode ser feita em relação à:

  • Política
  • Arte
  • Literatura
  • Mitos
  • Cultura, etc…

2 – Alusão histórica à Revolução industrial

 

Lembra-se da revolução Industrial que começou na Inglaterra e se espalhou pelo mundo? As fábricas tomaram conta do cenário, transformaram o ambiente, os produtos eram feitos em série e em maior quantidade, os trabalhadores eram explorados etc.?

Pois bem, este fato pode ser usado para se fazer alusão histórica à:

  • Direitos trabalhistas
  • Dignidade do ser humano
  • Consumismo
  • Poluição
  • Meio ambiente
  • Êxodo Rural, etc…

3 – Referência à II Guerra Mundial

 

O mundo dividido em guerra, bombas atômicas explodindo, holocausto, fascismo, nazismo, comunismo, liberalismo…Tudo isso e muito mais envolvido neste período da história.

Mais Alusões possíveis:

  • Respeito ao diferente
  • Negociações Internacionais
  • Tratados de Paz
  • Conflitos internacionais
  • Alianças de mesmo interesse econômico, etc…

Essas três são bem famosas e as possibilidades de seus usos são muitas.

Lembre-se, ao fazer alusão histórica você estará ligando um evento da humanidade de forma comparativa a outro tema. Use também, novelas filmes e quadrinhos (Também é possível contrapor a ficção à realidade).

Veja também um exemplo de uma redação com uma alusão feita a um poema de Drummond, aqui!

Citações de filósofos para redação, outro tipo de intertextualidade

O que é uma citação?

Qual a diferença entre alusão e citação?

Por meio da citação você faz referência ao pensamento, frase, texto, livro de um autor e o identifica. A diferença entre alusão e citação é que a alusão faz uma referência explícita ou implícita ao tema referenciado, enquanto a citação está diretamente ligada à propriedade intelectual do autor, fazendo referência explícita. A citação trás as palavras dele mesmo!

Tem sido muito comum os alunos fazerem referências aos filósofos, usando a citação filosófica. Elas são frases dos filósofos que podem ser interpretadas e encaixadas no tema para ajudar a desenvolver o assunto e demonstrar domínio.

Veja aqui uma redação nota 1000 comentada, na qual o aluno usou referências filosóficas!

Exemplos de citações de filósofos para redação! Citações coringa para usar em qualquer redação

Sobre educação

  • Eduquem as crianças e não será necessário castigar os homens. ” Pitágoras

Sobre Política

  • A base da sociedade é a justiça” Aristóteles

Sobre a sociedade

  • “Ter o direito de fazer uma coisa não é, em absoluto, estar certo em fazê-la. ”  Chesterton

Sobre globalização

  • “A globalização encurtou as distâncias métricas, aumentando muito mais as distâncias afetivas. ” Jaak Bosmans

Sobre Economia

  • “O preço é uma coisa maluca e incalculável, enquanto o Valor é uma coisa intrínseca e indestrutível. ” Chesterton

Sobre Arte

“A arte deve propender ao bom e ao verdadeiro mediante o belo e afastar do mau e falso mediante o horrendo” Carlos Nougué

Sobre a mudança

  • Nada é permanente, salvo a mudança. ” Heráclito

Sobre o saber

  • Só sei que nada sei” Sócrates

Sobre a história

  • Aqueles que não conseguem lembrar o passado estão condenados a repeti-lo” George Santayana

Ufa! Já é um número bom de citações filosóficas. Mais do que isso não é necessário e elas podem ser usadas de formas variadas.

Como fazer uma redação boa para o Enem: confira alguns pensadores



Hannah Arendt



Foi uma filósofa política, considerada uma das mais influentes do século XX. Nasceu na Alemanha em 1906 e morreu nos Estados Unidos em 1975. Foi conhecida como a pensadora da liberdade, entre os seus estudos se dedicou a política, ética, regimes autoritários, educação, condição do trabalho, condição do ser humano e condição da mulher.

Sugestão de leitura: “A condição humana”



"Quem habita este planeta não é o Homem, mas os homens. A pluralidade é a lei da Terra." (Hannah Arendt)



 

 

 

 

Zygmunt Bauman



Foi um sociólogo e filósofo polonês. Nasceu em 1925 e morreu em 2017 no Reino Unido. Bauman se destacou por escrever para leigos e não intelectuais. Popularizou-se em todo o mundo com o seu conceito de “modernidade líquida”. Grande parte de sua obra foi traduzida para o português. Seus livros falam sobre ideias de conexões sociais potenciais na sociedade contemporânea, na era conhecida como pós-modernidade. 

Sugestão de leitura: "O mal-estar da pós-modernidade"

 

“A preocupação com a administração da vida parece distanciar o ser humano da reflexão moral. ” (Zygmunt Bauman)



Edgar Morin



Nasceu em 1921 na França e ainda está vivo. É considerado um pensador da complexidade, para ele, o ser humano é “espécie, cultura, organismo”, um ser planetário, um ser cosmológico e tem uma dimensão espiritual. Ele defende o conceito de auto ética, ética própria. 

Sugestão de leitura: "Os sete saberes"



"A forma hoje como nós produzimos conhecimento produz também ignorância." (Edgar Morin)



Marshall McLuhan



Foi um professor, filósofo e intelectual público canadense. Nasceu em 1911 e morreu em 1980. Seu trabalho é um dos pilares do estudo de teoria da mídia. Teórico da comunicação canadense, MacLuhan é conhecido por cunhar a expressão “o meio é a mensagem” e o termo “aldeia global”. Estudou os meios de comunicação e a sua relação com a sociedade.

Sugestão de leitura: "O meio é a mensagem"



“A maioria das pessoas está ligada a um tempo anterior, mas você deve estar vivo em nosso próprio tempo. ” (Marshall McLuhan)



Jean-François Lyotard



Filósofo francês que nasceu em 1924 e morreu em 1998. Considerado um pensador da pós-modernidade, para ele a pós-modernidade é um momento de que os pilares da modernidade começam a ser questionados, tais como a confiança na razão, no sujeito, na história, nas grandes narrativas, a evolução.

Sugestão de leitura: "A condição pós-moderna"



“Não podemos mais recorrer à grande narrativa - não podemos nos apoiar na dialética do espírito nem mesmo na emancipação da humanidade para validar o discurso científico pós-moderno. ” (Jean-François Lyotard)



Luiz Felipe Pondé



Filósofo brasileiro que nasceu em 1959. Hoje, Pondé se diz ateu, porém tem formação Pascaliana e Agostiniana. É visto como um pensador de direita, acredita que não existe uma ordem moral no universo e que, ainda que exista Deus, Deus estaria decepcionado com a condição humana, com base nos mitos que estão presentes no Velho Testamento. 

Sugestões de leitura: "O homem é insuficiente"



"O perdão é maior que a Justiça. Ele cabe onde a Justiça não seria suficiente." (Luiz Felipe Pondé)



Dicas de redação Enem 2018



Além de fazer uso de citações no exame, sempre com cuidado, existem outras dicas para mandar bem nessa etapa da prova como se manter atualizado com o que acontece no Brasil e no mundo e treinar bastante o texto já no modelo exigido no exame (dissertativo-argumentativo). A dica de ouro é ler a Cartilha de Redação do Enem. O manual do Enem contém informações sobre a metodologia de correção da redação, além das competências avaliativas. O guia de redação do Enem 2018 também está disponível em vídeo em Língua Brasileira de Sinais (Libras), para surdos e deficientes auditivos.

1- HANNAH ARENDT

  • Pensadora judia, nasceu na Alemanha em 1906 e morreu nos Estados Unidos em 1975
  • É considerada uma pensadora da liberdade
  • Estudou muitas coisas, como regimes autoritários, política, ética, educação, a condição do trabalho, a violência, a condição do ser humano e a condição da mulher
  • Entre os pensadores de esquerda na Europa, ela estava entre os que tiveram a coragem e fazer uma crítica ao sistema soviético
  • Sugestão de leitura: "A condição humana"

"Toda dor pode ser suportada se sobre ela puder ser contada uma história." (Hannah Arendt)

Segundo Mazzucco, a questão da dor pode ser considerada hoje como uma questão filosófica. "O problema da dor, do sofrimento, e dar voz a esse sofrimento, porque o sofrimento acaba ensinando. O que a gente vê hoje é uma geração que não tem tido uma didática, uma orientação para saber lidar com a questão da dor", diz ele.

O professor afirma que essa frase pode ser aplicada não só em temas que tenham a ver com a política, mas também outros, como saúde mental e suicídio, que podem aparecer na prova de redação.

"O conservadorismo faz parte da essência da educação, cuja tarefa é sempre abrigar e proteger." (Hannah Arendt)

Para Mazzucco, essa frase é interessante porque as pessoas costumam pensar o conservadorismo como algo ruim. "E ela [Arendt] não é uma pensadora conservadora. Ao contrário, ela era uma pensadora revolucionária, liberal. Mas ela achava importante as gerações dialogarem. Não romper com o passado. Ela diz que não existe o inédito, o que existe é a inovação, o novo. Só que esse novo tem que repousar na tradição, tem que dialogar com a tradição."

"Quem habita este planeta não é o Homem, mas os homens. A pluralidade é a lei da Terra." (Hannah Arendt)

O professor explica que essa frase da pensadora alemã pode se encaixar em temas que abordem questões como diversidade, inclusão e minorias. "A gente costuma falar sobre o Homem como uma abstração. Hoje existe muito essa questão do universo multicultural, plural, de dar voz às minorias", diz ele.

 

2- ZYGMUNT BAUMAN

  • Sociólogo polonês, nasceu em 1925 e morreu em 2017 no Reino Unido
  • Destacou-se porque não escrevia para intelectuais, e sim para leigos
  • Ganhou popularidade em todo o mundo com o conceito de "modernidade líquida"
  • Sua linguagem abandona categorias e conceitos rígidos das ciências sociais e da filosofia para usar imagens, como a imagem do “turista”
  • Sugestão de leitura: "O mal-estar da pós-modernidade"

"O eixo da estratégia de vida pós-moderna não é fazer a identidade deter-se, mas evitar que se fixe." (Zygmunt Bauman)

O trecho acima foi retirado do ensaio "Turistas e vagamundos: os heróis e as vítimas da pós-modernidade". De acordo com Mazzucco, a imagem do turista foi usada por Bauman como uma metáfora para a forma como as pessoas vivem no mundo atual.

"O ser humano vive hoje no mundo meio que como um turista, sem querer muito compromisso. Quer se divertir, quer uma passagem sem grandes projetos. Isso define a chamada pós-modernidade", explicou ele.

 

3- EDGAR MORIN

  • Nasceu em 1921 na França e ainda está vivo
  • É considerado um pensador da complexidade, tem uma visão complexa do ser humano
  • Para ele, o ser humano é “espécie, cultura, organismo”, um ser planetário, um ser cosmológico e tem uma dimensão espiritual
  • Ele também vai além dos limites que geralmente as academias dão para o ser humano, de antropologia à física, passando por educação e ambientalismo.
  • Defende o conceito de auto ética, a ética própria
  • Sugestão de obra: "Os sete saberes"

"A forma hoje como nós produzimos conhecimento produz também ignorância." (Edgar Morin)

Segundo o professor, o argumento por trás dessa frase indica que, atualmente, o conhecimento é desfragmentado ou disjuntivo. "Então, o sociólogo não entende o filósofo, e vice-versa", explica ele.

"A política passa incessantemente pelo conflito entre realismo e utopia." (Edgar Morin)

Já essa frase pode ser aplicada em textos que falem sobre democracia e eleições, segundo ele. "Às vezes a gente idealiza algo, mas realizá-lo é uma utopia. A utopia não se realiza, mas você progride, cresce, vence problemas", diz Mazzucco.

"Então, a utopia é muito importante. Na verdade, é como se fosse uma armadilha para que pudéssemos vencer as mazelas do mundo."

4- MARSHALL MCLUHAN

  • Teórico da comunicação canadense, nasceu em 1911 e morreu em 1980
  • Criador do termo "aldeia global"; ele viveu antes da globalização, mas anteviu o fenômeno
  • Estudou os meios de comunicação e a sua relação com a sociedade
  • Sugestão de leitura: "O meio é a massagem"

"O homem cria as ferramentas, e as ferramentas recriam o homem." (Marshall McLuhan)

Como McLuhan foi o primeiro grande teórico da comunicação a estudar como os novos meios têm o poder de transformar a natureza humana, ele pode ser evocado na redação do Enem em temas que envolvam as redes sociais ou as tecnologias da informação e da comunicação.

Um conceito que McLuhan criou décadas antes da invenção do smartphone é considerar os meios de comunicação como uma "extensão do homem".

"Com a internet e os celulares, hoje nós temos um outro ser humano, uma outra sociedade", explica o professor Mazzucco, do Objetivo. "Precisamos de uma nova ética, precisamos de novas diferenças, de um novo paradigma", diz. "As redes sociais estão criando outro ser humano, as pessoas precisam perceber isso." Segundo ele, é preciso dialogar com essa nova realidade, e "ver quais são os caminhos para criar uma sociedade saudável dentro desse mundo virtual, que também é real".

 

5- JEAN-FRANÇOIS LYOTARD

  • Filósofo francês que nasceu em 1924 e morreu em 1998
  • Considerado um pensador da pós-modernidade
  • Para ele, a pós-modernidade é um momento em que os pilares da modernidade começam a ser questionados: a confiança na razão, a confiança no sujeito, a confiança na história, nas grandes narrativas, a evolução
  • Sugestão de leitura: "A condição pós-moderna"

"Simplificando ao extremo, defino a pós-modernidade como a incredulidade diante das metanarrativas." (Jean-François Lyotard)

O pensador francês, segundo Mazzucco, chama de "metanarrativas" as grandes narrativas da História, como a Bíblia ou o marxismo. Mas, segundo ele, esse questionamento também modifica o formato do conteúdo que as pessoas consomem. Um exemplo são os seriados, onde cada episódio é curto e se fecham em si mesmo, em contraposição às novelas que duram muito mais.

O professor também diz que, segundo Lyotard, a ideia de progresso na modernidade supõe que seja possível e necessário romper com a tradição para instaurar uma nova ordem. Essa frase dialoga com o pensamento de Hannah Arendt, diz o professor. "A gente sempre acha que pode enterrar o passado. Mas não, nós temos que inovar, mas pautado na experiência que a humanidade já traz consigo. Por isso é importante estudar história."

Para dar um exemplo, o professor fala sobre o samba. "Quem é que vai fazer uma música de melhor qualidade? Pensa, por exemplo, num samba moderno, num chorinho.... É aquele que nunca ouviu Pixinguinha, ou aquele que costuma ouvir Pixinguinha?"

 

6- LUIZ FELIPE PONDÉ

  • Filósofo e médico brasileiro, nasceu em 1959
  • Tem um senso crítico muito aguçado e é visto hoje como um pensador de direita, mas sua obra é pouco compreendida
  • Tem formação Pascaliana e Agostiniana, baseada no pensamento católico, mas hoje se diz ateu
  • Acredita que não existe uma ordem moral no universo e que, ainda que existe Deus, Deus estaria um pouco decepcionado com a condição humana, com base nos mitos que estão no Velho Testamento
  • Sugestões de leitura: "O homem é insuficiente" e "O pensamento no deserto"

"O perdão é maior que a Justiça. Ele cabe onde a Justiça não seria suficiente." (Luiz Felipe Pondé)

De acordo com o professor, essa é uma frase que pode ser considerada genial. Segundo ele, Pondé "evoca o homem a ser humilde o tempo todo", e critica a frequência com a qual os homens falam sobre a ética.

Mazzucco diz que o filósofo é um misantropo, ou seja, alguém que não confia na condição humana e no humanismo. E que, para Pondé, a moral é uma questão de conflito interior, e a consciência moral é um sentimento de culpa. "Então, a condição da moralidade é uma condição de humildade em que você dialoga com a sua consciência em uma condição de sofrimento."

 

1 – “Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda. ” Paulo Freire

Paulo Freire foi um importante educador brasileiro, ao qual dedicamos um post inteirinho para que você saiba sua importância e expressividade para discussões relacionadas à educação (veja AQUI). Portanto, como sua própria atuação sugere, temas que discutem a questão da educação podem ser relacionados à fala desse pensador. Sempre que quiser afirmar como a educação é fundamental para a transformação social em diversos âmbitos, a citação acima é pertinente!

R$ 70 / h
Maria T.
Sorocaba / SP
Maria T.
Identidade verificada
  • CPF verificado
  • E-mail verificado
1ª hora grátis
Redações Português - Aulas de gramática para o Enem Interpretação textual
Mestrado: Mestrado (Universidade de Sorocaba)
Professora-mestre de todos os setores da língua portuguesa com 35 anos de experiência.
Cadastre-se ou faça o login para comentar nessa publicação.

Confira artigos similares

Confira mais artigos sobre educação

+ ver todos os artigos

Encontre um professor particular

Busque, encontre e converse gratuitamente com professores particulares de todo o Brasil