A Química e sua origem filosófica
Bruno M.
em 23 de Junho de 2020

Você já se perguntou qual a relação entre a química e a filosofia? Já ouviu falar na teoria dos 4 elementos, 3 princípios ou na teoria do flogístico?

Neste blog você vai aprender como que a alquimia influenciou a sociedade no período medieval e como ela contribuiu para o desenvolvimento da química e de áreas como a mineralogia e medicina. 

Introdução

O conhecimento da matéria e suas transformações sempre foi alvo de interesse da humanidade desde a antiguidade, como por exemplo os gregos que já teorizavam sobre a constituição da matéria 500 anos antes de cristo. A química como a conhecemos hoje teve seu berço na alquimia, uma forma de ciência primitiva que consistia em manipulações de substâncias com o intuito de tratar poucas doenças e alguns processos para produzir vinho, vinagre e etc.

A principal aspiração dos alquimistas era transmutar metais inferiores em ouro e encontrar o Elixir da longa vida. Por este motivo a alquimia foi banalizada por séculos, enquanto que outras áreas da ciência como a matemática e a filosofia se desenvolviam.

Somente em 1600 d.C, surgiu um estudioso chamado Robert Boyle que escreveu o livro chamado “O químico cético”. Esse livro representa uma mudança de paradigma, a passagem da alquimia para a química, onde prevalece o método cientifico. Neste período a ideia da transmutação e da busca do Elixir da longa vida foi abandonada, dando lugar ao estudo da matéria e suas transformações.

Nos séculos seguintes o conhecimento sobre a natureza aumentou significativamente com o advento da química. Os químicos ganharam cada vez mais notoriedade, contribuindo para o desenvolvimento da farmacologia, medicina, biologia, mineralogia e outras áreas. 

Vamos enter melhor qual é a relação entre os filósofos, a alquimia e a química nos tópicos a seguir.

Teoria dos 4 elementos

Durante muito tempo o mistério da origem do fogo foi objeto de especulação filosófica. Várias teorias surgiram para explicar o que ocorre com os materiais no momento em que entram em combustão.

Na Grécia antiga surgiu a teoria dos 4 elementos, que afirmava que tudo que existe é uma combinação de 4 elementos da natureza: água, terra, ar e fogo. Segundo essa teoria, tudo era formado por uma combinação desses quatro 4 elementos.

Apesar de parecer simplória, com essa teoria os filósofos adeptos conseguiam explicar diversos fenômenos da natureza, como o fogo. Segundo eles os materiais combustíveis, como madeira e o papel, continham em si o elemento fogo, que em condição adequada o liberavam. Se um material não pegasse fogo, é por que então era formado por outro elemento, como água, terra ou ar.

Além disso existiam “qualidades” associadas a esses elementos. Por exemplo se um material tivesse a qualidade de úmido, é por que ele seria formado pelos elementos água e ar. Se fosse seco, seria formado por fogo e terra, se fosse frio, seria formado por terra e água e se fosse quente, seria formado por ar e fogo.

Essa teoria foi aceita e modificada várias vezes, mas foi uma das primeiras teorias sobre a constituição da matéria, sendo base para a elaboração de outras teorias que viriam a ser propostas nos séculos seguintes.

Teoria dos 3 princípios

Em 1500 d.C. os adeptos da alquimia acreditavam na teoria dos 3 princípios, que vinha dos alquimistas árabes que afirmava que todos os objetos eram formados por mercúrio, enxofre e sal.  Paracelso, um médico e alquimista, acreditava que não só os objetos eram formados por esses 3 princípios, mas também o corpo humano, cujo o equilíbrio dependia da quantidade e da interação entre eles.

Algumas dessas interações poderiam ser maléficas, originando doenças. Por exemplo, a sublimação de mercúrio dentro do organismo poderia ocasionar seu depósito nas paredes dos vasos sanguíneos, provocando apoplexia. A expansão e a secreção de sal em lugares indesejáveis, como a pele por exemplo, causariam ulcerações, câncer ou gangrena.

Assim as doenças eram classificadas como: sulfurosas, mercuriais e salinas.  Paracelso acreditava que usando os medicamentos apropriados, o equilíbrio entre esses princípios que formam o corpo seria reestabelecido.

Para tanto Paracelso usou seus conhecimentos sobre alquimia para produzir remédios, criando um novo campo chamado de iatroquímica. Enquanto a maioria dos alquimistas continuava na busca da transmutação e do Elixir da longa vida, Paracelso e seus discípulos se aplicavam a produção de medicamentos para tratar doenças, aumentando significativamente o conhecimento sobre as propriedades e manipulação de minerais e vegetais.

Todavia seus métodos nada convencionais não agradavam muitos dos médicos da época, principalmente por ser oriunda da alquimia.

Teoria do flogístico

Anos depois a ideia de Paracelso foi deixada de lado e substituída pela teoria do Flogístico criada por Georg Ernst Stahl (1660-1734). Os materiais combustíveis, como papel, madeira, enxofre, carvão e óleos vegetais, possuíam um princípio comum inflamável presente apenas nos materiais combustíveis, o flogístico. Se algum material não queimasse, é porque não teria flogístico em sua composição.

Essa teoria foi bem aceita, pois explicava 3 fenômenos conhecidos da época a combustão, calcinação e a corrosão. Segundo essa teoria na combustão o flogístico saia do corpo e passaria para o ar, que faria o papel de transporta-lo para outro corpo. Assim se um corpo em combustão fosse abafado, o fogo cessaria, pois, o flogístico não teria para onde ir.

Essa teoria foi aceita por mais de um século e tudo que foi descoberto a respeito da composição do ar era referenciado ao flogístico. Foi quando Antoine Lavoisier viu um ponto fraco da teoria. Lavoisier foi um dos primeiros a inserir o uso da balança nos experimentos e era conhecido por ser muito meticuloso. Ao calcinar mercúrio metálico ele percebeu que a massa do produto final era maior que a do reagente em ambiente aberto. Se o flogístico saia do mercúrio na queima, como a massa do produto era maior que a do reagente? Hoje sabemos o produto é o oxido de mercúrio.

Anos depois Lavoisier propôs que a combustão não ocorria pela presença de flogístico, mas sim pela reação do material com oxigênio. Lavoisier demonstrou que para qualquer material pegar fogo é necessária a presença. Para Lavoisier, a combustão seria o resultado da combinação do oxigênio com o material que queimava.

Se o mesmo processo fosse realizado em ambiente fechado a massa antes e depois era a mesma. Além disso Lavoisier descobriu que o oxigênio estava presente na própria água, que até então acreditava-se ser um elemento. Tudo era pesado antes e depois e seus resultados eram sempre associados a ganho e perda de massa. Baseado nisso Lavoisier propôs sua lei ponderal, a lei da conservação das massas.

A partir dos trabalhos de Boyle e Lavoisier a química passou a ser reconhecida como ciência moderna. Ainda sim podemos considera a química como ciência exata e também filosófica, já que o uso do pensamento crítico e raciocíneo lógico são a base do método científico até hoje.

 

Se este Blog te ajudou, deixe seu comentário e faça uma avaliação no meu perfil. Vai me ajudar bastante.! :)

1 avaliação
Itaboraí / RJ
Mestrado: Química (Universidade Federal Fluminene (UFF))
Equilíbrio Químico Química Geral Técnico em Química Reações Químicas Química para UERJ Química para ENEM Química Analítica
Faça uma aula comigo que te mostro como a química pode ser mais interessante do que parece! Sem decoreba e de um jeito fácil e prático! :)
Oferece aulas online (sala profes)
Oferece aulas presenciais
R$ 60 / aula
Conversar Whatsapp do professor Bruno M. Whatsapp do professor Bruno M. Ver WhatsApp
1ª aula demonstrativa
Responde em 37 min
Cadastre-se ou faça o login para comentar nessa publicação.

Listas de exercícios, Documentos, Revisões de textos, Trabalhos?

Se seu problema for dificuldade em uma lista de exercícios, revisão de teses e dissertações, correção de textos ou outros trabalhos, peça uma ajuda pelo Tarefas Profes.

Enviar Tarefa

Confira artigos similares

Confira mais artigos sobre educação

Ver todos os artigos

Encontre um professor particular

Busque, encontre e converse gratuitamente com professores particulares de todo o Brasil