A escola de Frankfurt -"existe marxismo cultural?"

Parte II - O conceito de esclarecimento

Filosofia Ensino Médio Enem Vestibular Aulas De Reforço Concurso Curso Superior
A escola de Frankfurt -"existe marxismo cultural?"
Darcio A.
em 22 de Maio de 2020

Continuação do artigo anterior...

 

Na obra Dialética do Esclarecimento, publicada em Amsterdã em 1947, Adorno e Horkheimer resgatam o conceito de esclarecimento. Este conceito é remetido pelos autores ao processo de desencantamento do mundo e de dominação dos homens. Kant, no século XVIII, escreveu um texto célebre cujo título era: “Resposta à pergunta: o que é Esclarecimento”. Nesse texto, Kant define o esclarecimento como o processo emancipatório do homem frente à ignorância, isto é, graças ao poder esclarecedor da razão, os homens puderam se libertar do medo que, supunha-se, os mistérios da natureza desconhecida infligia à humanidade. Assim, a ciência, que é produto da razão esclarecida, fortalecia seu status de protagonista como o princípio de explicação do universo agora subjugado à razão. O conceito de esclarecimento com que Kant está dialogando é depositário de um ideal de racionalidade oriunda da filosofia de Descartes entre os séculos XVI e XVII, ou seja, o esclarecimento que trouxe autonomia para os homens frente a natureza e frente às superstições religiosas, é produto de um ideal de razão capaz de produzir, autonomamente, conhecimento e explicação sobre a realidade.

Na Dialética do Esclarecimento, o conceito de esclarecimento/iluminação aparece impregnado de um sentido não somente positivo como em Kant, mas, também, negativo, na medida em que o esclarecimento, que investiu os homens do poder de dominar a natureza, trouxe, por outro lado, o processo de alienação do homem não mais frente a uma natureza hostil, mas sim a um sistema econômico/social extremamente violento e inumano. Assim, o esclarecimento adquire a significação de desencantamento do mundo e o produto do esclarecimento - uma sociedade desenvolvida - adquire o sentido de dominação dos homens pelo sistema econômico/social. Enredados nessa dominação social a questão chave para os autores é procurar entender porque o esclarecimento parece guardar um retorno à barbárie. Com efeito os autores apontam para os perigosos reflexos dos avanços tecnológicos no campo da subjetividade moderna, mas não só, questionam o próprio sentido do processo científico dentro de uma forma social que tem como leitmotiv a generalização da forma mercadoria em todas as direções tomando o próprio pensamento e a cultura em geral.

Nesse sentido, Horkheimer e Adorno desconstroem a ilusão de uma modalidade de espírito conhecedor que, partindo da crença no poder dos dados e probabilidades, acreditava assim estar livre da superstição. Ledo engano, afirmam, já que precisamente tal esforço utilitário e pragmático estaria nos conduzindo de volta à condição que mais causaria horror: a indiferenciação ante a natureza. A ideia positivista de ‘progresso’ ao fim e ao cabo configuraria uma nova visão mítica do mundo (na Odisseia de Homero, por exemplo) que guardaria em si um germe da racionalidade que caracterizaria o atual desencantamento do mundo. Nesse sentido, os autores da “Dialética do Esclarecimento” tem a grande pretensão de fazer a narrativa desse outro lado obscuro, dessa verdade sempre escondida para qual, nas palavras de Freud, fazemos “política de avestruz”. Adorno e Horkheimer pretendiam, como Freud, por uma interpretação, revelar algo oculto, ou que sempre se tentou ocultar, o lado obscuro da tradição do esclarecimento

É a partir desse pressuposto que o conceito de esclarecimento passa a ser pensado em todo o seu conteúdo autodestrutivo, caracterizado tanto pela ausência de uma reflexão crítica acerca de si mesmo quanto por esconder o fato de que, paradoxalmente, o progresso social viria significando uma crescente reificação dos homens. Em outros termos, o crescente domínio técnico ao invés de produzir um mundo mais justo, acentuaria o nível de desigualdade social. Pior ainda, o aumento da capacidade de consumo e a melhoria da qualidade de vida da população em termos de bens materiais equivaleria à venda da sua capacidade crítica. 

 

Continua em breve

 

 

 

 

São Paulo / SP
Mestrado: Mestrado em Geografia Humana (Universidade de São Paulo (USP))
Economia 1º Ano Filosofia - Geral Filosofia a Distância Filosofia no Cursinho Filosofia - Enem
Professor de Geografia e História. Venha aprender hoje e para a vida !
Oferece aulas online (sala profes)
Oferece aulas presenciais
R$ 70 / aula
Conversar Whatsapp do professor Darcio A. Whatsapp do professor Darcio A. Ver WhatsApp
1ª aula demonstrativa
Cadastre-se ou faça o login para comentar nessa publicação.

Listas de exercícios, Documentos, Revisões de textos, Trabalhos?

Se seu problema for dificuldade em uma lista de exercícios, revisão de teses e dissertações, correção de textos ou outros trabalhos, peça uma ajuda pelo Tarefas Profes.

Enviar Tarefa

Confira artigos similares

Confira mais artigos sobre educação

Ver todos os artigos

Encontre um professor particular

Busque, encontre e converse gratuitamente com professores particulares de todo o Brasil