Ludicidade no ensino de Física

Será que o rigor matemático é a única maneira?

Física
Ludicidade no ensino de Física
Diego O.
em 19 de Maio de 2021

Ao invés das contas, formalismos e rigor, é possível olhar para a exploração científica sob uma perspectiva lúdica, uma vez que a aprendizagem opressora pode até apresentar resultados objetivos satisfatórios, mas a longo prazo tem potencial para marcar negativamente os alunos. O ser humano é naturalmente curioso, então a proposta é usar essa curiosidade como ferramenta natural do processo de aprendizagem, estimulando a criatividade e direcionando-a para a aprendizagem da ciência.

Ensinar ciência com objetos ou conceitos que utilizem o atributo científico de modo lúdico envolve catalisar a atenção do estudante. É necessário também estar preparado para certas possibilidades, tais como formação de novos conceitos, desenvolvimento cognitivo, ampliação de estruturas cognitivas ou motoras já existentes e uma aprendizagem crítica. Desenvolver um jogo do conhecimento envolve aceitar o direito de errar, mudar de opinião, tudo isso sob a perspectiva pedagógica.

Desafiar a inteligência do aluno é uma boa estratégia. Para desenvolver o conhecimento de forma lúdica, desconstrói-se a noção de que o professor é o detentor do conhecimento e o aluno é mero receptor. Sob a ótica da ciência como um constante aprendizado, o professor é um organizador da atividade, enquanto o aluno participa dela. Assim, ambos utilizam a ferramenta pedagógica do ensino lúdico.

Um outro exemplo é a possibilidade do ensino da física através dos quadrinhos, de modo a despertar interesse e senso crítico no aluno. A imagem, aliada à escrita, permitem um envolvimento por parte do leitor, uma imersão no conhecimento, adquirido de forma lúdica, com o objetivo de criar uma linguagem comum entre emissor (autor) e receptor (aluno).

A arte sequencial já está inserida no nosso cotidiano, o que já diminui uma eventual resistência. São atividades investigativas e de promoção da argumentação dentro de sala de aula, com engajamento. A proposta é que os personagens dos quadrinhos apresentem, cada qual, perspectivas diferentes da ciência, pra criar identificação (e também estranhamento), e fomentar o debate e discussão. O enfoque é na tríade: ciência, tecnologia e sociedade (CTS).

Nesse contexto, pode-se ter o ensino da ótica, a exemplo da lei de reflexão em espelhos planos, onde tirinhas trazem situação corriqueira e personagens que demonstram diferentes níveis de compreensão da física por trás dos espelhos. A partir delas, propostas, perguntas e atividades são direcionadas para o leitor, cuja atenção foi captada pelo recurso visual, e a curiosidade despertada pelos desafios propostos

Cadastre-se ou faça o login para comentar nessa publicação.

Listas de exercícios, Documentos, Revisões de textos, Trabalhos?

Se seu problema for dificuldade em uma lista de exercícios, revisão de teses e dissertações, correção de textos ou outros trabalhos, peça uma ajuda pelo Tarefas Profes.

Enviar Tarefa

Confira artigos similares

Confira mais artigos sobre educação

+ ver todos os artigos

Encontre um professor particular

Busque, encontre e converse gratuitamente com professores particulares de todo o Brasil