Visitando a Roma das Igrejas

Italiano
Visitando a Roma das Igrejas
Juliana Moreti
em 23 de Fevereiro de 2015

No 1° post da série Roma, disse que criei para meus alunos um roteiro que divide a cidade em 3 breves roteiros:

1)      VaticanoLungotevere e Piazza del Popolo.

2)      Roma barroca (que dividirei em IgrejasPalácios, Praças e Fontes)

3)      Roma antica

Sobre a Roma Barroca, vou começar falando das igrejas

ROTEIRO 2: Roma Barroca: Igrejas

Em meu blog OsAmigosdeMochila, escrevi um post bem interessante sobre as igrejas romanas (algumas pertencentes à época romana ou renascentista), que são, para mim, uma das maiores representações artísticas da cidade. 

Você pode entrar em uma igreja renascentistas e encontrar afrescos e quadros barrocos, ou simplesmente uma igreja da época romana com uma fachada barroca.

Para facilitar a visitação, fiz uma lista das igrejas que considero interessantes (claro que existem outras mil por Roma) e coloquei em ordem segundo o mapa abaixo, iniciando na Piazza del Popolo (o roteiro 1 final).

 

A - Igreja "Santa Maria del Popolo":  Vou começar pela minha igreja favorita em Roma, a Santa Maria del Popolo, que se encontra na praça homônima, perto da estação de metro Flamínio e ao lado da Villa Borghese, com a famosa Galeria Borghese.

Essa igreja foi construída em 1099 no local onde Nero foi sepultado, mas foi restaurada por Bernini, dando-lhe a aparência barroca que ainda permanece. 
Aqui dentro encontramos afrescos de Pinturicchio (la Natività con san Girolamo dell’altare); esculturas de Bernini e afrescos de Rafaello e 2 obras primas de Caravaggio"Conversione di San Paolo" e "Crocifissione di San Pietro"


B - Chiesa di Sant'Agostino in Campo Marzio:
Esta igreja está fora do circuito turístico, mas em seu interior se encontram muitas obras de arte, como a Madonna di Loreto, ou Madonna del Pellegrini, de Caravaggio, um afresco do Profeta Isaia, de Raffaello, a estátua da Madonna col Bambino de Andrea Sansovino e, no altar maior, a Madonna del parto de Jacopo Sansovino que, segundo tradição popular, seria milagrosa. 


C - Chiesa San Luigi dei Francesi: Conheci esta igreja em minha última visita a Roma. Não sabia de sua existência até um colega italiano me levar até ela e conhece-la foi uma grande surpresa para mim.
Esta igreja, do ponto de vista artístico, exalta a França através da representação de santos e de personagens históricos como estátua de Carlos Magno, São Luís, Santa Clotilde e Santa Joana de Valois. Porém, o que atrai turistas nesta igreja renascentista e que me surpreendeu é a capela Contarelli, que abriga 3 obras primas de Caravaggio, a famosa tríade caravagesca com: Martirio di San Matteo, San Matteo e l'angelo e Vocazione di San Matteo. Três belíssimos quadros!
 
 
D - Pantheon: Todo mundo que vai para Roma, passa pelo Panteon (ou redonda, por causa de seu formato), um prédio da época romana, construído em 27 a.C. e que se encontra em perfeito estado de conservação (único). 
No entanto, muitos se questionam se aquele prédio é uma igreja.
Bom, ele foi construído como templo dedicado a todos os deuses romanos (daí o seu nome) e, no século VII a igreja católica salvou-o do vandalismo e destruição que as antigas construções da Roma antiga sofreram durante o início do período medieval, mantendo-a assim como uma igreja. O interior em mármore e as grandes portas de bronze resistiram ao passar do tempo, ainda que estas últimas tenham sido restauradas mais de uma vez. 
Me parece que existem cultos ainda nos dias de hoje, mas hoje todo mundo o vê como um mausóleo de italianos importantes como Annibale Carracci, Baldassare Peruzzi, Humberto I de Itália, Margarida de Sabóia, rainha de Itália, o pintor Rafael Sanzio eVittorio Emanuele II, 1° rei da Itália.
 
No centro foi construído uma imensa cúpula, estudada por muitos arquitetos (inclusive Bruneleschi, arquiteto da cúpula no Domo de Firenze) com um óculo central.
 
 
Para prestar atenção: Diante de toda a grandeza deste antigo templo romano, o que mais chama atenção do turista é exatamente o óculo no centro do domo. Dependendo do horário, a iluminação dentro muda (a foto com a claridade entrando, tirei no dia 19 de julho às 15h20;). Há também uma plaquinha indicando o que ocorre quando chove. Nunca estive ali em dia de chuva, mas deve ser interessante!
;)
 
 
E - Chiesa di Santo Ignazio: Essa é uma igreja bastante curiosa que vale a pena dar uma passadinha rápida. Não contém nenhuma obra de arte de algum artista famoso, mas ela é muito curiosa. Construída em estilo barroco entre 1626 e 1650 para homenagear o jesuíta, este edifício foi inspirado na igreja matriz dos Jesuítas, a Igreja de Jesus, com imponentes pilastras coríntias que estruturam todo o interior. O que me fez indica-la em minha rota turística pelas igrejas romanas é o grandioso afresco feito por um irmão jesuíta, Andrea Pozzo, que  se estende por todo o teto da nave (Gloria di Santo Ignazio), e principalmente o seu melhor trabalho feito nacúpula.
Meu conselho: Entrem na igreja e sigam devagar sentido o altar, parando a cada 10 passos e sempre olhando o teto e a cúpula. Depois parem exatamente em baixo da cúpula e a admirem!
 
F - Basilica di Santa Maria sopra Minerva: Única igreja gótica de Roma; Foi construída sobre o templo de Isis pensando que fosse de Minerva. A fachada de 1453 é da primeira parte do Renascimento. Seu interno ricamente decorado hospeda a tumba da Santa Caterina de Siena e do pintor italiano Beato Angelico

A capela mais famosa é a Carafa, no final do transepto direito, devido aos afrescos de Filippino Lippi. É uma das mais belas decorações de capela em toda Roma. Lippi pintou os afrescos em honra da Virgem Maria e de São Tomás de Aquino. A parede atrás do altar mostra a Assunção da Virgem. Na parede à direita, cenas da vida e apoteose do santo. É muito grande em Lippi a impressão de ilusão espacial e a parede atrás do altar dá impressão mesmo de se abrir para o mundo espiritual. 

Outra grande atração da igreja, seu maior tesouro, é a grande estátua do Cristo Ressuscitado por Michelangelo, esculpida em mármore em 1519, mas desvendada apenas em 1521. O próprio escultor a achava tão feia, que se propôs a trocá-la por outra. O que é incomum é a combinação de um assunto como Cristo combinado com a imagem idealizada de um herói da Antiguidade, pois Cristo está de pé, inteiramente nu (o pano sobre os rins é uma adição barroca), sem feridas, numa atitude forte virando a cabeça. Agarra a cruz e os instrumentos de seu martírio nas duas mãos, num gesto que demonstra a natureza voluntária de sua morte na cruz.

G - Basilica di Santa Maria in Trastevere - O bairro de Trastevere (do outro lado do rio Tevere, ou Tibre) vale com certeza uma boa visita e caminhada, principalmente no fim da tarde ou noite (para aproveitar seus ótimos restaurantes), e essa igreja, uma das mais antigas em roma dedicada à Nossa Senhora, com um pouco da fachada e seu interior toda em mosaico dourado, merece certamente uma visita.
Dos mosaicos, o mais famoso está na abside e é de Pietro Cavallini, que representa a morte da Virgem Maria. O ciclo da vida de Maria tem início no arco triunfal, com seu nascimento; seguem-se a Anunciação, o Nascimento de Jesus, a Anunciação aos pastores, a Adoração dos Magos, a Apresentação de Jesus no Templo e a Morte de Maria. No centro, Maria aparece com os Apóstolos São Pedro e São Paulo, e o patrono da igreja, o cardeal Bertoldo Stefaneschi, ajoelhado a seus pés com seu brasão e uma inscrição relativa a sua doação.
 
 
H - Chiesa di Santa Maria in Cosmedin: Fundada sobre as ruínas de um antigo edifício no século VI, esta igreja grega, de estilo gótico, atrai o turista graças a um medalhao conhecido como a Bocca della Verità. O medalhão nada mais é que a máscara de Tritão com a boca aberta, feita em mármore. Diz a lenda medieval que a boca tinha o poder de morder os dedos da mão de um mentiroso que ousasse inseri-la na abertura...
 
 
I-  Basilica di San Pietro in Vincoli: Esta igreja, nas proximidades do Coliseu, foi construída em 431 e dedicada a São Pedro para abrigar as correntes (em latim vincula) que, segundo diz a lenda, fora utilizada para prender San Pietro (faz parte das relíquias da igreja).
 
No interior há colunas dóricas, provavelmente reutilizadas, tiradas de algum edifício da Roma imperial. No entanto, o que atrai inúmeros turistas a essa igreja é uma das mais perfeitas esculturas feita por MichelangeloMoisés.
O monumento foi encomendado pelo próprio Papa em 1505 e nele Michelangelo trabalhou durante 40 anos. A própria falta de interesse do Papa e encomendas que o artista recebia, tornaram mais lento o projeto.
A figura central do túmulo é Moisés, e por seu tamanho (235 cm) se pode imaginar quão enorme seria o túmulo, como projetado.
 
J - Basilica Santa Maria Maggiore: Também conhecida como Basílica de Nossa Senhora das Neves, foi construída entre 432 e 440 durante o pontificado do Papa Sisto III e dedicada ao culto de Maria, Mãe de Deus, cujo dogma da Divina Maternidade acabara de ser declarado pelo Concílio de Éfeso (431). Dentro tem mosaicos medievais que contam a infância de Cristo (Annunciazione, Presentazione al Tempio, Adorazione dei Magi, Incontro con il governatore Afrodisio, Strage degli Innocenti, Re Magi presso Erode).  No altar, encontra-se o maior tesouro da Basílica, composto de cinco pedaços de madeira presos por grampos de ferro e que, segundo contam, teriam sido parte do berço de Jesus. É nesta basílica que está enterrado o maior escultor de Roma da época barroca, Gian Lorenzo Bernini.
 
K - Basilica di Santa Maria degli Angeli e dei Martiri: Esta é uma das igrejas que, infelizmente, não visitei, mas que parece ser muito interessante.
Ela fica próxima da estacão Roma Termini, e foi criada dentro da antiga Terma de Diocleciano. O trabalho foi elaborado por Michelangelo, porém, com novos projetos que surgiram, o projeto oficial de Michelangelo pode parecer despercebido.
A parte interna é imensa e recheada de pinturas, afrescos e esculturas.
 
L - Chiesa di Santa Maria della Vittoria: Outra igreja barroca que vale muito a pena uma visita. Rodei por muito tempo nesta região pois ninguém sabia me dizer onde ela estava. A atração principal é o altar esquerdo que abriga o espetacular grupo de escultura que Bernini fez para o cardinal veneziano Federico Cornèr (Cornaro), chamada Estasi di santa Teresa d'Avila.
A escultura representa a experiência mística de Santa Teresa de Ávila trespassada por uma seta de amor divino por um anjo. A capela é constituída de um altar convexo que abre para um espaço oval, de onde uma luz desce da janela no teto, criando um efeito sobrenatural. As esculturas em mármore são iluminadas com uma luz que "chove" do alto, como se fossem raios metálicos dourados ao fundo. O altar parece um palco teatral e a contraposição ao mundo cênico é explicitado por Bernini nos relevos da parede lateral, com alguns personagens da família Cornaro, que assistem a cena da “plateia”. Todo o conjunto é decorado com ouro, afrescos e mármore.
 
M - Chiesa di San Carlo alle Quattro Fontane (ou chiesa di San Carlino):  Idealizada pelo arquiteto suíço Francesco Borromini e dedicada ao arcebispo Carlo Borromeo, essa belíssima igreja barroca é hoje chamada de San Carlino pela sua pequena dimensão. 
Na fachada, Borromini a divide em duas ordens: uma superior e outra inferior. A parte inferior é caracterizada por ter uma superfície côncava - convexa – côncava; enquanto a superior apresenta 3 partes côncavas, sendo que a parte central hospeda uma edícula convexa. O arquiteto joga com a concavidade e convexidade das paredes criando uma fachada dinâmica e cheia de movimento.

Curiosidade:
Do lado de fora, a igreja abriga uma das 4 fontes deste cruzamento (a fonte que representa o rio Tevere).
 
N - Chiesa di Sant'Andrea al Quirinale: Outra interessante igreja arquitetada pelo grande Bernini e que infelizmente nao fui. 
O próprio arquiteto a considera uma de suas maiores obras primas.
A igreja de Sant'Andrea ao Quirinale fica nas proximidades da San Carlo e é considerada uma grande referência do puro barroco italiano. Foi encomendada pela companhia de Jesus após seu sucesso com a igreja de San Carlo. 
Neste trabalho, Bernini a projetou  em forma elíptica, com um eixo mais curto na entrada que no altar. 
 

 

Em um próximo post, falarei dos outros roteiros por Roma. Mas enquanto isso, visitem meu blog: OsAmigosdeMochila ou o site Turistando.in!

São Paulo / SP

15 avaliações
Graduação: Letras: Português e Italiano (Universidade de São Paulo)
Me formei em língua e literatura italiana pela USP em 2005 e desde então ensino italiano para pessoas de todas as faixas de idade e necessidades; individuais ou em grupo, no nível elementar ao avançado e conversação, incluindo curso de proficiência para mestrado e doutorado (incluindo curso preparatório para o exame da USP Direto - Largo São Francisco) e cursos de proficiência italiana Cils e Celi. Hoje dou apenas aulas particulares, mas lecionei em diversas escolas, entre elas, Centro Acadêmi ...
Italiano - Gramática e Conversação, Italiano - Conversação, Cultura Italiana, Italiano - Viagens, Italiano com Material Incluso, Preparatório para proficiências de mestrado e doutorado em Italiano, Preparatório para proficiências em Italiano
Oferece aulas online (sala profes)
Oferece aulas presenciais
R$ 60 / aula
Conversar
1ª aula gratuita
Cadastre-se ou faça o login para comentar nessa publicação.

Confira artigos similares

Confira mais artigos sobre educação

Ver todos os artigos

Encontre um professor particular

Busque, encontre e converse gratuitamente com professores particulares de todo o Brasil